Global Shopper conquista conta de e-commerce da Mondelēz International

Da esquerda pra direita: Martina Azevedo -Diretora de Operações da GS; Theo Vieira Head de Ecommerce Mondelez e Mauricio Gallian CEO da GS. (Foto: Divulgação Global Shopper).

A Global Shopper é a agência de digital commerce escolhida pela Mondelēz International. Estreando no segmento de snacks, em que as lojas de varejo predominam com 99% na comercialização, segundo dados da Euromonitor International, a GS será responsável pelo atendimento de todos os produtos da Mondelēz no varejo online.

O desafio da agência é ativar estrategicamente canal de e-commerce a fim de ampliar a estratégia de negócios da companhia e promover o desempenho das marcas nos varejistas e novos players com abrangência B2C e B2B.

A campanha de Páscoa criada pela GS já está no forno. A estratégia desenvolvida pela agência para a companhia tem o objetivo de melhorar a experiência de compra com as marcas no canal, ressaltando os desejos e hábitos dos consumidores e oferecendo o snack certo, para o momento certo, feito da maneira certa.

“Nosso modelo de negócio está se consolidando cada vez mais e as indústrias vêm enxergando isso como “um braço” para suas operações de e-commerce. O grande desafio está em conquistar visibilidade, com foco na conversão. Isso tem se tornado uma premissa decisiva para entender a particularidade de cada modelo de venda, atuar na estratégia mais assertiva e assim desenvolver o segmento de maneira efetiva nestas plataformas.”, explica Martina Azevedo, diretora de operações da GS.

“O e-commerce é um dos nossos pilares de crescimento esse ano. O canal digital tem um papel de atender uma nova demanda de consumidores que buscam conveniência e praticidade, além de ser um ótimo ambiente para iniciativas de branding. “Estamos crescendo forte nas vendas digitais e a nossa expectativa é crescer 3 dígitos esse ano no e-commerce“, conclui Theo Vieira, Head de eCommerce da Mondelēz.

Segundo a National Retail Federation, NRF 99th Annual Convention & EXPO, no cenário do futuro, o predomínio não será de apenas um formato de loja, mas de modelos pulverizados para atender à multiplicidade de estilos de vida e de comunidades da nova era em 2020. O desafio consistirá em fazer desses formatos projetos comercialmente viáveis, tanto de lojas físicas quanto de lojas virtuais. Em meio à grande oferta de modelos de varejo explorando a conveniência deverão destacar-se os canais que melhor compreenderem os consumidores e proporcionarem a eles a melhor experiência. Conquistar a confiança do consumidor será o grande desafio para as lojas virtuais do futuro, reitera o estudo da Virtual Supermarket of the Future.