Banco do Brasil destaca resultados da operação de mesa de performance

O Banco do Brasil avançou na sua estratégia de uso de mesa de performance em sua operação de mídia. O objetivo é a realização de mais negócios a partir do uso de inteligência de comportamento de consumo (com ferramentas como analytics, adserver e firebase) para realizar abordagens em mídia digital de forma muito mais assertiva e personalizada.

O projeto estratégico está sendo conduzido pela WMcCann para a efetividade de negócios e dinamismo na tomada de decisões nas ações de comunicação.

“É preciso medir, analisar, otimizar e repetir esse ciclo. Tudo isso com agilidade e assertividade. Por isso, o Banco se apoia em análise de dados para uma atuação consistente e gerando resultados para a empresa. A operação com diversas áreas do Banco trabalhando juntas indica que a atuação em processos ágeis e com cultura de testes a aprendizados contribui para o atingimento de bons resultados”, destaca Alexandre Alves, Diretor de Marketing e Comunicação do BB.

A gerente executiva de Marketing Digital do BB, Paula Sayão, conta que a estratégia se baseia no uso de metodologia de trabalho ágil, característica das empresas startups que permite que todas áreas se tornem mais eficientes, estando 100% orientadas para a geração de negócios.

Em dois meses de operação, os resultados de abertura de contas de microempreendedores individuais (MEI) geradas pela mesa de performance já representam 42% de contas deste tipo abertas pelo Banco. Os produtos de abertura de Conta Fácil para pessoa física e solicitação de cartão de crédito para não correntistas também são destaques: ambos já representam 30% na participação do resultado da companhia.

O projeto conta com uma equipe integrada entre cliente e agência com mais de 39 profissionais de diversas áreas do Banco que colaboram na Diretoria de Marketing e Comunicação do Banco, na sede do BB em Brasília.

“Ao alcançar agilidade e efetividade através de uma inteligência baseada em dados, as ações de comunicação são mais precisas”, afirma André França, vice-presidente de mídia da WMcCann. Ele ressalta que a compra de mídia é feita de uma forma mais assertiva e estratégica baseada em dados negociais para estimular a concretização dessa ação.