Cannes Lions homenageia Mary Wells Lawrence com o Lion of St. Mark 2020

Representante oficial do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade no Brasil, o Estadão comunica a homenagem à Mary Wells Lawrence com o Lion of St. Mark 2020. O prêmio será entregue durante o Live Lions em reconhecimento a sua brilhante carreira.

Fundadora da agência de publicidade Wells Rich Greene de Nova York em 1966, Mary Wells Lawrence foi a primeira mulher a fundar, possuir e administrar uma grande agência. Foi também a primeira CEO feminina de uma empresa negociada no Big Board da Bolsa de Valores de Nova York.

Ao longo de sua vida, Wells Lawrence dirigiu uma série de campanhas notáveis. “Mary é uma mulher extraordinária, com ambição, paixão e talento de sobra. O Cannes Lions faz campanha pela criatividade como uma força para os negócios, mas Mary estava à frente do jogo – ela já sabia disso há 50 anos. Sua capacidade de injetar entretenimento e criatividade em sua publicidade transformou a reputação e as receitas de muitas marcas em dificuldades e, como resultado, ela conquistou enorme respeito e admiração da indústria. Estamos emocionados por homenagear uma verdadeira lenda com o Lion of St. Mark,” comenta Philip Thomas, Presidente do Cannes Lions.

“A consciência do tempo em que você está é a essência de qualquer negócio de persuasão, mas acho que minha força particular é minha crença na paixão, preocupando-me obviamente e emocionalmente com a importância do que estou vendendo. Quero que as pessoas sintam, até mesmo que fiquem nervosas se estiverem fazendo outra coisa, como, por exemplo, se apaixonar”, revela Mary Wells Lawrence.

A homenagem com o Lion of St. Mark será realizada por meio da plataforma Lions Live, na sexta-feira, 26 de junho.

Com uma plataforma digital gratuita, o Lions Live acontece de 22 a 26 de junho, oferecendo conteúdo ao vivo e sob demanda. O Festival reunirá a comunidade criativa do mundo para colaborar, aprender e resolver problemas através de um objetivo compartilhado de criatividade.

Mary Wells Lawrence

No primeiro ano, a Wells Rich Greene tinha 100 funcionários e U$ 39 milhões em faturamento. Em 1976, o faturamento foi de U$ 187 milhões e sua lista de clientes incluía Procter & Gamble Co., Trans World Airlines, Miles Laboratories, Philip Morris, Bic Pen Corp., Ralston Purina Co., Midas Inc., White-Westinghouse Electric Co. e Sun Oil Co. O New York Observer disse que a agência era responsável por criar anúncios que “gravavam frases indeléveis na imaginação do público”.

A carreira pioneira de Mary Wells Lawrence incluiu ressuscitar a imagem deteriorada da cidade de Nova York com o agora icônico slogan “I ♥ Nova York”, bem como transformar a marca da Braniff Airways em uma reconhecida companhia aérea do jet set com o “O Fim de um Simples Avião”, uma campanha que injetou um clima cultural de excitação e vitalidade com aeronaves pintadas em tons pastéis, e comissários da companhia vestidos com uniformes criados pela Pucci. Sobre a campanha, Mary Wells Lawrence disse: “Era, de fato, o fim dos simples aviões. Publicidade, marketing e design de linhas aéreas nunca mais seriam os mesmos. Houve reclamações de outras companhias aéreas. Elas alegavam que a tinta tornava os aviões pesados – todas as companhias aéreas que contavam essa história boba agora voam frotas de aviões pintados.”

Seu trabalho para a Alka-Seltzer, em suas próprias palavras, foi como “planejar e desenvolver publicidade que seduzisse a todos os homens, mulheres e crianças de todas as idades a assistirem ao comercial da Alka-Seltzer – de fato, para fazê-los desejar assisti-la”. Por meio de campanhas como “Plop, fiz”, “Eu não acredito que comi a coisa toda” e “Experimente, você vai gostar”, a Alka-Seltzer sacudiu de forma inteligente sua imagem envelhecida.

Em 1971, Lawrence foi nomeada Advertising Woman of the Year pela Federação Americana de Publicidade e, em 1999, foi incluída no Hall da Fama da Publicidade Americana. Sua autobiografia, “A Big Life (in Advertising)”, foi publicada em 2002.