Brasil conquista 141 troféus, sendo 3 Gran Ojos, no El Ojo de Iberoamérica 2021

Principal evento criativo das Américas, o Festival Internacional El Ojo de Iberoamérica, que em 2021 completou 24 anos, termina com um saldo bastante positivo para a publicidade brasileira. Nos três dias do evento nosso país ganhou 3 Gran Ojo (ou Grand Prix): em Filme, Digital & Social e PR. O Brasil ganhou também 40 troféus de Ouro, 48 de Prata de 50 de Bronze, o que soma 141 prêmios para o país.

Somente na quinta-feira, 25, o Brasil conquistou 49 prêmios: 2 Gran Ojo, 12 troféus de Ouro, 20 de Prata e 15 de Bronze nas categorias Filme, Conteúdo, Design, Digital & Social, Sustentável, Inovação e Terceiro Ojo. Em Melhor Ideia Latina para o Mundo, o Brasil um troféu. Confira (mais abaixo) o rol com todos os premiados brasileiros neste último dia de festival.

EL OJO LOCAL – DESEMPENHO

Também foram revelados no último dia do festival os ganhadores do El Ojo Local – Desempenho. São as empresas e pessoas mais premiadas em 2021 no festival, por país. Na publicidade brasileira, os vencedores são: Agência: AfricaCriativo: Sergio Gordilho (Africa)Produtora: Saigon FilmesRealizador (diretor de cena): VellasAnunciante: AmBev Brasil

OS MELHORES DE TODA A IBEROAMÉRICA

Pela quarta vez a Africa ganha o título de Agência do Ano no Festival Internacional El Ojo de Iberoamérica. Além deste ano, ela venceu em 2017, 2019 e em 2020. Essa é primeira vez nos 24 anos do festival em que há um vencedor como Agência do Ano em três edições consecutivas. Vale lembrar ainda que Sérgio Gordilho também é “tetracampeão” no El Ojo, pois em todos os anos em que a Africa foi a Agência do Ano, Gordilho foi o Criativo do Ano.

Veja abaixo todos os ganhadores como Melhores da Iberoamérica em 2021

Melhor Rede da Iberoamérica: DDB Latina

Melhor Agência: Africa

Melhor Agência Independente: We Believers

Melhor Criativo: Sérgio Gordilho (Africa)

Melhor Produtora: Oriental Filmes

Melhor Realizador: Alaska

Melhor Anunciante: Burger King

Nos 24 anos de El Ojo de Iberoamérica, uma agência brasileira saiu-se vencedora do título de Agência do Ano em 12 edições do festival. A DM9 em 1998; a AlmapBBDO em 2000, 2004, 2005, 2008, 2012, 2015 e 2016; e a Africa em 2017, 2019, 2020 e 2021.

Confira também a lista de vencedores brasileiros deste último dia do El Ojo, por categoria, além dos cases que ganharam Grand Prix (independentemente do país).

Filme

A competição de Filme teve o Gran Ojo conferido ao Brasil. Ele foi conquistado pela agência Africa, com o trabalho “Let her run”, para Sportv, produzido pela Santeria, com direção de cena de Rafa Damy.

Os 10 prêmios brasileiros em Filme ficaram, então: 1 GP, 3 Ouro, 4 Prata e 2 Bronze. A Africa levou o GP e 2 Ouro, a GUT ganhou 1 Ouro, a W+K levou 2 Prata; a AlmapBBDO e a Wunderman Thompson levaram levou 1 Prata cada, enquanto Fields360 e Leo Burnett Tailor Made levaram 1 Bronze cada.

O júri de Film foi presidido pelo brasileiro Hugo Veiga (AKQA) e os jurados brasileiros foram Rafael Pitanguy (VMLY&R) e Mariana Sá (W/McCann).

Conteúdo

Nessa categoria, o Brasil ganhou oito troféus: 2 Ouro, 2 Prata e 4 Bronze. O Gran Ojo foi para o México, com o trabalho “El clássico de la historia”, da We Believers para AB InBev.

Os oito premios brasileiros foram para Africa (1 Ouro, 2 Prata e 2 Bronze), Betc Havas (1 Ouro), Sunset e Wunderman Thompson 1 Bronze cada.O júri de Conteúdo foi presidido pela chilena Ingrid Lira Dellachiesa (Puerto) e os jurados brasileiros na competição foram Vinícius Malinoski (Netflix Brasil) e Nicolás Romanó (Wunderman Thompson).

Design

A criatividade brasileira ganhou 10 troféus em Design: 3 Ouro, 5 Prata e 2 Bronze. O GP foi para os Estados Unidos, com o case “Degree Inclusive” feito pela Wunderman Thompson para Unilever/Rexona.

Os prêmios brasileiros foram para Africa (2 Ouro, 3 Prata e 1 Bronze), Wunderman Thompson (1 Ouro), FCB Brasil e R/GA (1 Prata cada) e Try (1 Bronze).

Design teve Josefina Casellas, da R/GA Buenos Aires, como presidente de júri, e os brasileiros Luis Bartolomei (CBA B+G), Eduardo Basque (McCANN Health) e Ricardo Miller (Oliver / U-Studio) como jurados de nosso país.

Digital & Social

Nosso país levou 10 troféus em Digital & Social. O GP dessa competição é brasileiro. Foi para a Africa, com o case “Sala 2032”, criado para House of Lapland, com produção da Primo Content em conjunto com a Triatoma e direção de cena de Santi Dulce.Os outros prêmios do Brasil foram, então: Africa (GP, 2 Ouro, 1 Prata e 2 Bronze),Almap (1 bronze), FCB Brasil (2 Prata) e Grey Brasil (1 Prata).

A presidência do júri do El Ojo Digital & Social foi de Sebastián «Patán» Tarazaga (Wunderman Thompson Latam) e os jurados brasileiros nessa competição são Giacomo Groff (R/GA SP) e Sergio Mugnani (Sunset DDB).

Inovação

Apenas um troféu foi conferido ao Brasil nessa competição: 1 Prata, para MullenLowe).O Gran Ojo foi para o case “Waterlight”, da Wunderman Thompson Colômbia, para Edina.

Sustentável

O Brasil levou oito troféus na categoria, sendo 2 Ouro, 2 Prata e 4 Bronze.

A Africa ganhou 1 Ouro e 1 Prata, a Betc Havas 1 Ouro, enquanto Sunset DDB e Wunderman Thompson ganharam 2 Bronze cada.

O júri foi presidido por Andrés Ordóñez, da FCB Chicago, e Adriana Cury (Nova S/B) foi a única brasileira no corpo de jurados da categoria.

El Terceiro Ojo

Apenas um prêmio brasileiro foi conferido nessa competição neste ano: 1 Prata, para Africa.O GP foi para o case “It’s on us”, da LolaMullenLowe para Unilever Uk/Dove.

O júri foi presidido pelo brasileiro Alex Okada (MullenLowe Londres) e Luciana Haguiara (Media.Monks Brasil) foi a brasileira no corpo de jurados.

Melhor Ideia Latina Para o Mundo

O Brasil levou somente um troféu nessa competição. Ele é de Prata e foi conferido à Africa.

O GP foi para o case “#SeguimosHablando”, da Publicis México, para Propuesta Cívica AC.

Os ganhadores nessa competição são definidos pelo conjunto de presidentes de júri de todas as categorias do El Ojo de Iberoamérica.

Erro na contagem de quarta-feira, 24

Por uma falha da organização do El Ojo, nas premiações do segundo dia do festival foram consideradas como Melhor Ideia Latina Para o Mundo os mesmos vencedores de Melhor Ideia Local. A organização pede desculpas pelo equívoco, corrigido neste último dia do evento. Co isso, foram subtraídos da contagem geral de prêmios os seis prêmios atribuídos a Melhor Ideia Latina Para o Mundo no segundo dia e incluído apenas o único troféu na competição.