Estudo aponta redução de custos de veiculação na publicidade on-line

Investimento em social media, principalmente nas áreas de entretenimento remoto e delivery, é tendência nos EUA

É notório que a pandemia da Covid-19 e o estado de isolamento social provocou mudanças generalizadas de hábitos na população em nível mundial, principalmente no quesito consumo. Com base nesta situação, a Agência Newton, especializada em inteligência digital, elaborou um estudo sobre a situação atual do mercado de marketing, publicidade e vendas no ambiente online. A análise aponta, entre os tópicos citados, que o padrão de tráfego de internet no Brasil aumentou cerca de 40% e esse crescimento causa reflexos no mercado. Um deles é o barateamento de custos de veiculação de campanhas on-line, já que a ampliação do consumo de internet tem como consequência direta a expansão do inventário de mídia.

“O isolamento social é responsável por esse grande aumento do tráfego e pela mudança de comportamento do usuário. Os dias de semana agora, por exemplo, estão com os mesmos horários de pico de acesso que os fins de semana, o que mostra como o isolamento social teve um impacto muito grande nessa questão. Acreditamos que o tráfego deve voltar para o patamar normal após o fim do isolamento, mas a ampliação da cultura de consumo online deve permanecer, ou seja, os consumidores devem buscar mais por soluções online do que buscavam anteriormente”, diz Bruno Mayer, sócio e head de mídia e business intelligence da Newton.

Outra questão levantada no estudo é a tendência de investimento em social media. Nos EUA, a realidade é que as marcas já estão apostando fortemente em comunicação por meio de redes sociais, principalmente nas áreas de entretenimento remoto e delivery. Como as pessoas estão passando mais tempo na internet, as chances de serem alcançadas por anúncios on-line tornam-se maiores. Este é, então, um bom momento para impactar novos usuários. Por conta disso, nos dias de hoje é indispensável que as empresas estejam preparadas para lidar com o ambiente digital, desde as lojas físicas que aderiram obrigatoriamente ao delivery, até as grandes corporações que tiveram que se habituar ao regime home office para evitar danos maiores.

O isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus também teve como reflexo um maior engajamento nas mídias sociais. Por estar em quarentena, grande parte das pessoas buscam o ambiente digital como alternativa para comunicação. A situação é favorável para influenciadores, pessoas públicas e artistas, que aproveitam a oportunidade para transmitir conteúdo de entretenimento e informação a seus espectadores, todas com grande adesão de público. A Newton compartilha da ideia de que este é um momento propício para oferecer ao público conteúdo interessante e relevante.

“O momento é de oportunidade para as marcas. Observamos a junção do aumento de tráfego, que consequentemente aumenta o inventário de mídia, e também dos cortes de investimento em publicidade feitos por diversas marcas, que tornam o cenário menos competitivo. A competitividade e preços devem subir novamente com a redução do isolamento social e com a retomada dos investimentos em mídia, o que significa que esse é um momento único para atingir novos usuários a um custo mais baixo”, diz Brunno Torquato, sócio e head de planejamento da agência. “Alguns segmentos tiveram um expressivo aumento de interesse e vendas, como o e-commerce, por exemplo, e vemos que muitas dessas empresas estão utilizando bem a oportunidade para incentivar ações educativas e sociais”, acrescenta.

O estudo mostra também dados do setor de e-commerce brasileiro, que na primeira quinzena de março registrou um aumento médio de 40%. As vendas dispararam principalmente nos setores de saúde, beleza e supermercados. Dados de três das mais importantes lojas de venda on-line no Brasil indicam que as palavras-chave mais procuradas são termos que remetem as principais necessidades das pessoas que estão em confinamento, como itens de escritório, limpeza e entretenimento, com destaque a produtos como notebook, aspirador de pó, fone de ouvido e smartv.

“Apesar de não ser um momento bom para fechar negócios em diversos segmentos, existe uma grande oportunidade de se comunicar e engajar novos usuários”, considera Mayer. 

Clique aqui para acessar a íntegra do estudo realizado pela Agência Newton, com dados e fontes da pesquisa.