Oi, Havaianas, Jeep e Red Bull patrocinam torneio beneficente de surfe inédito no Brasil

Com apresentação da Oi e patrocínios de Havaianas, Jeep e Red Bull, a World Surf League (WSL) promove nesta sexta-feira, 18, o “Onda do Bem”, torneio noturno de surfe, inédito no Brasil, que reunirá um grupo de 15 dos melhores surfistas brasileiros e 10 celebridades. A iniciativa, que tem cunho social, foi idealizada para ajudar a reviver a emoção do surfe competitivo ao vivo, mas com um caráter de entretenimento.

O torneio será realizado em praia brasileira, das 16h às 22h, que estará fechada e não será divulgada para evitar a presença do público e/ou aglomeração, por conta da pandemia. Porém, o público poderá acompanhar tudo ao vivo pelas plataformas da WSL no portal da Liga e YouTube, ou mesmo assistir ao vivo pelo canal de TV por assinatura SporTV (onde a exibição será a partir das 19 horas). E, ainda, terá transmissão pelos Arena Estaiada Drive-in (SP) e o Drive-in das Artes (RJ). O “Onda do Bem” acontecerá com rígidos protocolos de segurança, seguindo as práticas determinadas pela Organização Mundial da Saúde – OMS.

Com formato único, o surfeoturno terá cenário repleto de cores e luzes, inclusive com as incríveis imagens das pranchas iluminadas com LED no mar. O “Onda do Bem” leva esse nome porque une surfe, lifestyle e solidariedade, com transmissão ao vivo. Os interessados poderão fazer doações por meio de um QR Code – exibido durante a transmissão – que serão destinadas ao Projeto Ondas, Organização da Sociedade Civil – OSC fundada em 2007 pelo ex-atleta do WCT e bicampeão brasileiro de surfe, Jojó de Olivença. A entidade tem como missão contribuir para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, utilizando o surfe como instrumento para o aprendizado e inclusão social. O Projeto Ondas foi escolhido pelos atletas, por meio de votação.

“A meta do ‘Onda do Bem’ é entreter os fãs e dar o ‘gostinho’ de competição aos nossos atletas, além e gerar doações em prol da comunidade do surfe. O esforço é imenso para essa realização e graças à colaboração de nossos patrocinadores o projeto saiu do papel. Tudo isso para valorizar merecidamente o surfe e oferecer aos fãs uma experiência nunca antes vista, em um entretenimento ímpar, além de promover uma causa social, sobretudo diante dessa pandemia”, afirma Ivan Martinho, CEO da WSL para a América Latina. “Será possível matarmos as saudades do surfe até o retorno das competições, marcado para novembro”, completa o executivo. Martinho acrescenta que todos os cuidados, desde o local sigiloso até as várias medidas para seguir todos os protocolos de segurança, foram tomados para  garantir a saúde de participantes, funcionários e da comunidade local.

Atletas e celebridades surfando juntos

O “Onda do Bem” reunirá dez surfistas masculinos destaques da Championship Tour da WSL e cinco surfistas femininas Tops da Liga. Os nomes dos atletas estão sendo revelados primeiramente por meio das mídias sociais da WSL, desde a semana passada. Já foram anunciados o novato e promissor Lucas Vicente, campeão mundial na categoria Pro Júnior da WSL; Miguel Pupo, sétimo lugar no ranking mundial; Caio Ibelli, campeão do WQS de 2015; Jadson Andre, campeão mundial Júnior; além dos destaques Alex Ribeiro, Peterson Grisanto e Deivid Silva. E do lado feminino, foi anunciada até o momento Chlóe Calmon, campeã pan-americana e líder do Ranking Mundial da WSL.

Os atletas se unirão a 10 personalidades praticantes do surfe: o músico Gabriel O Pensador; o ator, apresentador e modelo Paulo Zulu; o ex-judoca Flavio Canto, palestrante, fundador e presidente do Instituto Reação e apresentador do programa de lutas Sensei Combate, no SporTV; e os atores Klebber Toledo e Paulo Vilhena. Do lado feminino: as free surfers Marina Werneck e Alana Pacelli; a atriz Larissa Murai; a ex-surfista profissional e hoje apresentadora Erica Prado; e a atriz Danni Suzuki.

A apresentação está a cargo de Glenda Kozlowski, ex-bodyboarder brasileira, hoje apresentadora esportiva, e os comentários ficam por conta de Carlos Burle, ícone do surfe, atleta de ondas grandes. Haverá um DJ tocando surf music para deixar a atmosfera ainda mais completa. Em um estúdio, no Rio de Janeiro, estarão algumas personalidades do surfe como jurados, em um espaço conectado pela Oi Fibra.

Formato dos desafios

De formato inovador, o ‘Onda do Bem’ contará com uma variedade de mini-competições divertidas de surfe. Os 25 competidores – atletas e celebridades – enfrentarão os vários desafios da noite divididos em cinco equipes temáticas, que levam os nomes de locais onde as competições da WSL já foram realizadas: Rio (Rio de Janeiro/Brasil), Gold Coast (sul de Brisbane/Austrália), J-Bay (Jeffreys Bay, África do Sul), Teahupo’o (ilha do Taiti, Polinésia Francesa) e Pipe (Pipeline, Havaí/EUA). As equipes terão cinco competidores cada, sendo três surfistas profissionais (dois masculinos e uma feminina) e duas personalidades (F e M).

“São momentos como esse que nossa internet deixou de ser invisível e passou a ser um bem necessário. E através dessa tecnologia podemos trabalhar melhor, nos comunicar e também nos divertir com o que mais gostamos. Acreditamos que o importante é que o esporte, mesmo nesse ambiente online, continua a promover encontros e a aproximar culturas. Com o ‘Onda do Bem’ consolidamos ainda mais o surfe como esporte democrático e de massa, engajando os fãs a acompanharem as provas através das telas”, diz Lívia Marquez, diretora de Comunicação e Mídia da Oi.

As disputas serão divididas em:

Super aéreos – 10 participantes (atletas brasileiros da elite do surf mundial) se dividirão em 2 bateria com 5 atletas cada, que serão puxados por jet skis para que ganhem velocidade. Como resultado, estão previstos incríveis e empolgantes Aéreos.

Baterias Competição – Um dos momentos mais aguardados da noite, atletas X atletas e celebridades X celebridades, em baterias de diferentes categorias – serão 11 baterias de 20 minutos cada, com quatro participantes.

Paddle Battle – disputa de celebridades (F e M), que entrarão no mar remando na prancha de surfe, ida e volta até uma boia (ponto de referência), sendo que quem retornar à praia e cruzar a linha de chegada em primeiro lugar vencerá.

Desafio de Equipes Oi Fibra – Todas as equipes (com seus cinco integrantes cada) podem atuar de forma conjunta, em uma espécie de revezamento numa grande bateria de 50 minutos, em que cada surfista tem até 10 minutos para pegar duas ondas e passar a vez para o próximo participante.

Segurança e rígido controle de acesso

O “Onda do Bem” terá um rígido controle de acesso, sem público, podendo ser assistido apenas por meio das transmissões pelo SporTV ou as plataformas online da WSL. “Os funcionários da Liga Mundial de Surfe trabalharam com oficiais da saúde pública, especialistas médicos, funcionários locais e estaduais para criar um plano completo para garantir a saúde e a segurança dos participantes, além da comunidade ao redor”, explica Martinho. Ele reforça que o “Onda do Bem” será estritamente executado com rígido protocolo de segurança, seguindo as práticas determinadas pela Organização Mundial da Saúde – OMS, que foram desenvolvidas com base nas diretrizes estabelecidas pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças e pelas melhores práticas emergentes estabelecidas por outras ligas esportivas.

O torneio segue todo um protocolo com com uma série de procedimentos. O hotel – escolhido por atender às normas de biossegurança e boas práticas estabelecidas pelo Ministério da Saúde -, estará fechado apenas para o staff do evento, com higienização e documentos em todos os quartos com informações e protocolos a serem seguidos. Serão realizados testes em todos os participantes — organizadores, diretores, produtores, atletas, preparadores físicos, treinadores e surfistas, entre outros -, que chegarão na hospedagem com 36 horas de antecedência, tempo hábil para realização dos exames e os resultados serão liberados pelo laboratório em um prazo de 12 horas. Nesse período, todos os participantes deverão ficar reclusos em seus quartos.

No local, após 100% da montagem, será feita a higienização de toda a estrutura na praia e ninguém mais entra até a hora do evento. A desmontagem também seguirá um rígido protocolo. O uso de máscara, distanciamento e boas práticas devem ser adotadas durante todo o tempo. Ainda: medidas estritas de distanciamento social em todos os espaços reservados às equipes, atletas e celebridades, apresentadores, DJ e o staff mínimo. No evento, eles estarão isolados em boxes diferenciados que irão garantir o distanciamento de 1,5 metro entre cada uma das pessoas, verificações de temperatura dos presentes em cada acesso e cabines de higienização instaladas no acesso principal do evento (um dispositivo pulveriza produto que garante a desinfecção de todas as pessoas, equipamentos etc).

“Estamos vivendo um momento sensível e trazer um pouco de descontração e dias mais coloridos às pessoas junto à comunidade do surfe é uma forma leve de voltarmos a falar em esporte e entretenimento, duas áreas muito afetadas nos últimos meses. Havaianas e Surfe têm uma história de longa data e nós não poderíamos ficar de fora desse momento tão especial para a WSL que é o Onda do Bem. Além de reunir uma turma tão bacana, também traz uma causa social atrelada ao evento que é fundamental hoje em dia”, salienta Mafê Alburquerque, diretora de Comunicação Global de Havaianas.

O ‘Onda do Bem’ faz parte da WSL Countdown, uma série de torneios regionais de pré-temporada nos EUA, Austrália, França e Portugal, que traz toda ação do surfe competitivo aos fãs durante o atual período restrito de viagens internacionais. O último foi em 9 de agosto, nos Estados Unidos, reunindo alguns dos melhores surfistas do mundo em uma competição no Surf Ranch, em Lemoore, Califórnia, e contou também com patrocínio de Havaianas. Entre eles, estavam os brasileiros, Adriano de Souza, Tatiana Weston-Webb e Filipe Toledo, que sagrou-se campeão do evento na piscina de ondas perfeitas da WSL criada por Kelly Slater.

Depois do Brasil, o ‘Onda do Bem’ segue para Austrália.