Marcas protestam contra construção do muro de Trump em campanhas publicitárias

Quando se fala em campanhas publicitárias, divulgar e vender um produto é o que nos vêm à mente. Mas muito além disso, às vezes em casos especiais, a publicidade de uma marca pode estar especialmente focada em importantes causas sociais e políticas.

No momento onde a política é amplamente discutida em todo o mundo, principalmente com os últimos acontecimentos, não foi diferente para as empresas Coca-Cola e Corona, por exemplo, que criticam em suas campanhas publicitárias a decisão polêmica do mais novo presidente estadunidense: Donald Trump.

Com o apelo “America es Grande”, a cerveja Corona celebra a união, a diversidade cultural e gastronômica da América, entre outras questões, e faz uma crítica ao projeto do presidente, da construção de um muro na fronteira com o México, país que mais será prejudicado com a decisão.

https://www.youtube.com/watch?v=SuLEu-nwd50

A construção de um muro separando nações, além de colocar em risco a diplomacia entre países, compromete também o livre comércio, uma vez que, diplomacia abalada pode ser razão para problemas de importação e exportação de produtos, o que afeta diretamente mercado e consumidor, além da economia local.

Já a Coca-Cola, transmitiu em vídeo o orgulho do povo latino. No filme, latinos contam o orgulho que sentem. Finalizando o vídeo, alguns sobrenomes de origem latina estampam as latas de refrigerante da marca.

Corona e Coca-Cola não foram as únicas a levarem este assunto em suas campanhas publicitárias. Com o impacto da proposta de Trump, empresas como AeroMexico e 360fly, Starbucks e Google também produziram filmes ou anunciaram tomar medidas que vão contra as decisões do presidente.