Conheça um pouco da história da Citroën na publicidade

A Citroën tem uma verdadeira história de amor com a publicidade. Isso porque André Citroën foi um dos primeiros empresários da ainda incipiente, mas revolucionária indústria automotiva a acreditar no poder da propaganda. Para ele a publicidade era algo muito além de apenas se listar as características e preço dos veículos.

Tudo começou com anúncios em preto e branco muito simples, produzidos logo após a invenção dos veículos motorizados. Se resumiam a descrever o modelo e elencar as vantagens em adotar a “carruagem sem cavalos”. Hoje soa estranho, mas na época propagar que determinado carro tinha 15 cavalos de potência ou que podia alcançar os 50 km/h de máxima impressionava a elite, o único grupo de pessoas que podia comprar um automóvel.

Tão logo fundou-se, a Citroën já usou a publicidade como um dos principais recursos para divulgar e comercializar seus veículos. A estreia midiática foi com o Tipo A, no jornal L’Illustration, em 15 de fevereiro de 1919. Para ilustrar o veículo, não uma foto, mas sim um desenho. Preço: 7.250 francos. Nas peças seguintes, eram destacadas qualidades como confiabilidade, economia e conforto.

Até que André Citroën deu a primeira amostra do quão impactante e inovadora a publicidade da sua empresa seria. Em 1922, às vésperas da abertura da sétima edição do Paris Motor Show, os parisienses se depararam com um avião rabiscando, com fumaça, a palavra “Citroën” no céu – pela primeira vez usado como suporte publicitário. E esta nem seria a demonstração mais marcante da paixão do fundador da marca do duplo chevron.

No ano seguinte surgem os primeiros “carrinhos” da Citroën. Bem, na verdade eram miniaturas do 5HP que podiam ser “dirigidos” por crianças, que desde cedo memorizavam marca de automóveis. Cerca de 15.000 deles foram comercializados naquele ano.

Outro exemplo de publicidade genialmente simples foi espalhar pelas estradas francesas 150.000 placas de sinalização, alertando para perigos, indicando direções ou apontando locais turísticos do país.

Três anos depois do Paris Motor Show seria a Paris Expo o palco de mais uma demonstração da ousadia, da criatividade e da ambição de André Citroën. Importante evento para o avanço do movimento art déco, a exposição mexeu com toda a cidade, cujos pontos turísticos foram tomados por uma iluminação temática. Nenhum brilhou tanto quanto a Torre Eiffel: na noite de 4 de julho de 1925, 250.000 lâmpadas, unidas por quase 600 quilômetros de fiação, se ascenderam para incrustar o nome da marca, àquela altura com apenas seis anos de vida, no principal cartão-postal da França.

Durante nove anos, aquele “Citroën” com 210 metros de altura enfeitou a Torre Eiffel, indo parar no Guinness Book como o maior anúncio publicitário do mundo. Charles Lindbergh, primeiro homem a voar sobre o Atlântico, teria usado o enorme e iluminado letreiro para guiá-lo em direção ao Aeroporto Le Bourget, em 1927.

Ao completar 90 anos, a Citroën novamente usou a Torre Eiffel. Dessa vez para ilustrar a magia do para-brisa Zenith do C3. Todas as noites, durante três meses, um show de luzes especial de 12 minutos era realizado para demonstrar a grande visibilidade do vidro frontal do hatch.

Por vezes a publicidade da Citroën contou com personalidades, como quando Sean Connery rejuvenesceu ao dirigir um C6. Contudo, foram as mulheres – como Grace Jones, Claudia Schiffer e Cindy Crawford – as protagonistas das peças. Novamente uma impressão digital de seu fundador, que anteviu o poder delas na decisão de compra de um carro.

E nos dias de hoje, a Citroën continua sua trajetória inovadora no modo de falar com seus clientes e apresentar a sua personalidade e seus produtos. A forma com que a marca se posiciona em suas campanhas atuais rompe as barreiras do senso-comum e segue proporcionando aos clientes uma experiência diferenciada.

Na Europa, a campanha do Citroën AMI traz exatamente essa forma diferenciada em se comunicar com o público e, se uma forma muito criativa e divertida, apresenta as características do produto. No Brasil, o exemplo mais recente dessa criatividade irreverente da Citroën é a campanha da série especial do Citroën C4 Cactus X-SERIES, recém lançado no Brasil. As peças desenvolvidas para o modelo contêm uma narrativa ousada e descontraída, com ângulos inesperados e palavras que se comunicam perfeitamente com a proposta moderna do veículo e da Marca.

Clique no link abaixo para conhecer um pouco mais sobre a história da Citroën:

https://www.citroen.com.br/universo-citroen/historia-da-citroen/historia-da-citroen.html