Monkey-land comemora 2 anos com a conquista de Shell

O estúdio criativo monkey-land entrou em 2022 com uma conquista notável. A operação, que está completando 2 anos de atuação no mercado publicitário, ganhou a concorrência para atender a conta da Shell Brasil, que estava até então na VMLYR

Liderada pelos sócios Leonardo Claret, Toni Fernandes, Saulo Sanchez e Ricardo Forli, o estúdio criativo será responsável por toda comunicação da marca que tem mais de  anos de história

A chegada do novo parceiro no portfólio da monkey-land reflete o que vem acontecendo no mercado publicitário nos últimos anos: empresas independentes e com pouco tempo de atuação no mercado ganhando espaço de grandes agências em anunciantes tradicionais  que buscam frescor e inovação. Pode-se atribuir, aliás, o boom de novas agências ao fato de que muitos profissionais experientes buscam uma forma de expressar suas ideias sem os entraves burocráticos das agências tradicionais, e também à diminuição de investimento em talentos criativos dentro dos grupos multinacionais.

Esse movimento não é uma exclusividade do mercado brasileiro. Um dos exemplos mais notórios é o estúdio criativo Uncommon, fundado em Londres em 2017, que conquistou a conta do Google UK no ano passado, e desde então vem realizando diversas campanhas para uma das empresas mais valiosas do mundo. No mercado norte-americano, o destaque vai para a Highdive Advertising, agência criativa fundada em 2016 com sede em Chicago e que tem em seu portfólio marcas como Jeep, Nike e Fruittella.

A monkey, por sua vez, surgiu com o objetivo de ser um estúdio livre para criar campanhas inovadoras, que façam a diferença para anunciantes. Com apenas 2 anos de existência, já desenvolveu trabalho para marcas como Alice Saúde, will bank, OMO, Bonafont, Nestlé Ninho, PetroRio, Instituto Península, Corinthians, entre outras. A chegada da Shell, uma empresa internacional e de grande porte, consolida o bom trabalho da empresa.

“Festejamos a chegada de Shell por incontáveis motivos. Os principais deles são a paixão que já tínhamos pela marca, a admiração pelo time e a visão comum que comungamos na comunicação criativa como impulsionadora de resultados.” comenta Forli, sócio da monkey.