Edelman chama atenção para tipo desconhecido de câncer em campanha da Novartis

Palidez, perda de peso, sudorese noturna, fadiga, hematomas sem razão aparente e falta de energia. Esses sintomas, muitas vezes passageiros, podem significar apenas uma indisposição ou virose, por exemplo. No entanto, outras vezes eles podem indicar algo mais sério. Quando persistem por um longo período e são acompanhados por febre, hemorragias, infecções frequentes e dor ou volume atípico no abdome, esses sintomas podem indicar a mielofibrose1,2.

Aproveitando o Dia Mundial de Doenças Raras, a campanha “Atente-se ao que é raro”, da Novartis e criada pela agência Edelman, tem como objetivo de chamar a atenção da população para a mielofibrose, um tipo de câncer no sangue que não tem sintomas claros e cujo diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento,

De acordo com Ana Clara Kneese Nascimento, médica assistente da Santa Casa de São Paulo, o desenvolvimento da doença é lento e não é raro que o paciente demore a notar os primeiros sinais. “Embora se saiba que há uma alteração genética, a causa da mielofibrose ainda é desconhecida. Se sabe, no entanto, que a maior parte dos pacientes tem entre 50 e 80 anos, fase em que já há associação de outras doenças e sintomas. Por isso a importância de um olhar atento a qualquer sensação diferente, principalmente cansaço extremo e progressivo”.

Por ser rara – estima-se que uma a cada 133 mil pessoas seja afetada pela mielofibrose4,5 –  pouco se fala sobre a doença. Para a especialista, a falta de informação contribui para o diagnóstico tardio: “soma-se, ainda, o fato de que, esses sinais ‘comuns’ são negligenciados não só pelo paciente, mas também por profissionais de saúde que não sabem muito sobre a doença”, afirma.

A médica reforça que, no caso da mielofibrose, o acesso à informação pode fazer toda diferença na vida do paciente. “Quanto mais falarmos sobre o assunto, maior a chance de que as pessoas passem a notar os sinais da doença, mesmo que eles sejam discretos, e a buscar uma investigação especializada. O controle da doença e a qualidade de vida do paciente podem ser beneficiados com o diagnóstico precoce”.

Veja o infográfico da campanha que traz mais informações sobre a doença: