Campanha da Propeg para a Parada do Orgulho LGBTQIA+ da Bahia faz reflexão sobre o isolamento social

Em meio à pandemia, muitos gays, lésbicas, travestis e transexuais tiveram que voltar às casas dos seus familiares para se protegerem. Só que, em vez de encontrar refúgio, boa parte dessas pessoas se deparou com a intolerância e o ódio de pais, irmãos e parentes inconformados com sua orientação sexual. O número de assassinatos de pessoas trans no Brasil já era maior no início do segundo semestre de 2020 do que em todo o ano de 2019.

Buscando lançar luz a este cenário, o Grupo Gay da Bahia (GGB) solicitou à agência Propeg uma campanha para divulgar a 19ª Parada do Orgulho LGBTQIA+, que neste ano acontecerá virtualmente no dia 22 de novembro, através do site da entidade. O resultado foi a criação de um filme que traz um duro paralelo entre o isolamento vivido pela sociedade hoje e que já está presente na vida da comunidade LGBTQIA+ há muito tempo. Ao som de uma versão própria da música I Will Survive, considerada por muitos o hino da comunidade, o filme faz diversas analogias do momento atual em relação às situações de isolamento, medo e ameaça que a comunidade LGBTQIA+ vive há décadas.

“Mesmo sem ir às ruas, é importante que a nossa comunidade permaneça unida e atuante para continuar a luta pelos nossos direitos junto às entidades governamentais e para a afirmação da nossa liberdade”, afirma o presidente do Grupo Gay da Bahia, Marcelo Cerqueira.

Emerson Braga, CCO da Propeg, explica que durante a criação e desenvolvimento da campanha, a agência entrevistou inúmeros gays, lésbicas, travestis e transexuais que compartilharam relatos emocionantes sobre conflitos familiares vividos durante a pandemia. “Esperamos com essa mensagem que as famílias possam refletir sobre a tolerância e a possibilidade da convivência familiar harmônica. Que este seja um dia para mães e pais refletirem sobre a importância de apoiar as decisões dos seus filhos homossexuais.”

Assista: