Revista 29HORAS traz como capa a cantora Claudia Leitte

A Revista 29HORAS, que é distribuída no Aeroporto de Congonhas/SP, destaca em sua capa da edição de fevereiro uma entrevista exclusiva com a cantora Claudia Leitte (na capa da edição paulista) e o ator Caco Ciocler (na capa da edição carioca). A cantora conta que está a todo vapor em sua preparação para o Carnaval 2019. Já o ator global revela um fato curioso sobre as gravações de “Segundo Sol” e comemora o fato de ser um avô jovem, relembrando sobre seus anseios de início da carreira.

Apesar de ter nascido em São Gonçalo, no interior do Rio de Janeiro, Claudia Leitte carrega a tradição, o sotaque e principalmente a simpatia baiana. Isso porque ela passou a maior parte da sua vida em Salvador, se mudando para a cidade com a família semanas depois após o nascimento. “Foi no velho Largo da Saúde e em todo seu entorno de ruas e calçamentos irregulares que eu criei raízes”, conta.

Um dos principais nomes do axé e do Carnaval brasileiro, Claudia está na contagem regressiva para a sequência de apresentações que fará nos próximos dias. A cantora é capaz de arrastar multidões: 2 milhões de pessoas presenciaram sua estreia no Carnaval de São Paulo. Todo esse sucesso é fruto de muito trabalho, afinal, Claudia Leitte se prepara durante o ano todo para um dos mais importantes eventos de sua carreira. “Os atletas não chegam aos campeonatos sem antes treinar muito, é assim na minha carreira também”, reflete.

Frequentemente comparada com Ivete Sangalo, Claudia abre o jogo sobre a relação entre as duas. “Fomos sempre colocadas como rivais quando, na verdade, isso nunca ocorreu. Ela tem uma luz linda e quando estamos juntas só procuramos dar nosso melhor”, afirma. A cantora ainda ressalta a importância da união entre as mulheres. “Vivemos em um momento importante e, como mulher, sinto que a união, a sororidade e a empatia devem ser praticadas, porque passamos pelas mesmas coisas, como o preconceito e o desrespeito”.

A edição paulista também conta com uma matéria sobre o Carnaval de rua de São Paulo, que já é maior que o do Rio de Janeiro. De acordo com a Prefeitura Municipal, foram nove milhões de foliões nos 570 “bloquinhos” da cidade, contra seis milhões da capital carioca, que desfilaram em 470 blocos. E neste ano, a farra paulistana promete ser ainda maior, já que o número de blocos será 20% superior ao do ano passado, segundo a Prefeitura.

Na capa da edição carioca da Revista 29HORAS, Caco Ciocler revela em entrevista que está em fase de comemorações. Após mais de 20 anos de trabalho, ele se autodeclara um profissional bem-sucedido e realizado. “Pela primeira vez, eu me vejo encarando a minha profissão sem tanta responsabilidade financeira, apenas experimentando a alegria”, desabafa. No entanto, ele relembra que no começo da carreira passou por alguns momentos de aflição, pois abandonou a faculdade de Engenharia Química na Politécnica (USP) para ser ator e, em seguida, descobriu que seria pai. “Passei muitos anos aflito com isso, porque estava assumindo uma nova profissão e ela tinha que dar certo. Era uma questão de honra sustentar aquela família”, conta.

Seu filho, Bruno, hoje está com 22 anos e também já é pai. A bebê Elis é o centro das atenções de Caco, que diz ser um avô coruja. “Estou curtindo muito! Mas a coisa mais bonita de ser avô é ver meu filho exercendo a paternidade do jeito dele. Eu também fui pai jovem, aos 24 anos, e o que mais gostei foi descobrir minha maneira particular de me relacionar com meu filho. Ver o Bruno nesse processo é a coisa mais bonita. A minha relação com ele se ressignificou sem que a gente precisasse falar”, desabafa o ator.

Após sua última participação na TV como o Edgar de Segundo Sol, Caco conta que os projetos continuam a todo vapor, e novidades deverão surgir em breve. Ele está envolvido em três longas que estrearão nos próximos meses, além de uma peça de teatro, escrita por sua ex-namorada, Luisa Micheletti.

Caco ainda conta sobre uma situação inusitada pela qual passou com Fabiula Nascimento durante as gravações de Segundo Sol, novela em que interpretou o personagem Edgar. “Ela me chamou na chincha. Logo na primeira leitura do Edgar, ela me puxou num canto e disse: ‘A minha personagem vai precisar se apaixonar pelo seu. Se você vier assim, você vai me ferrar’”, conta o ator, rindo.

Para conferir as edições online acesse o site da revista: http://www.29horas.com.br/site/