Luiz Casali divulga carta para Rede L&C de Emissoras

“AMIGO ZÉ FRANCISCO

 

Que tipo de amigo você é? Quase nos mata!

Pois é, caro leitor, não é que, ao remexer seus guardados durante a pandemia, esta figura querida e conhecida de muitos do nosso mercado, o José Francisco Queiroz, nos brinda com um áudio onde nós da L&C, fazemos um relato do evento de lançamento da primeira Rede de Rádio do Brasil, com programação unificada, no longínquo ano de 1982.

Foi um sucesso estrondoso. Saímos do já saudoso Buffet França com a certeza de que tínhamos respondido a todos os questionamentos que o mercado fazia com relação à veiculação em Rádio no Brasil.

Afinal, um único material seria suficiente para cobrir o país de norte a sul, com a certeza de veiculação, (um questionamento rotineiro) e, face a amostra da cabeça de Rede, Rádio América de SP (AM) uma das líderes de audiência, a questão da adequação produto/veículo ficava respondida.

Ficava. Porém, o mercado não respondeu. À época, não tínhamos as condições atuais: “streaming” ou sinal de satélite com preços acessíveis.

Eram mais de 1.200 fitas magnéticas rodando pelo Brasil, malotes e malotes de Sedex, uma linha 0800, que acabou causando problemas para a então operadora em razão do tráfego muito acima da capacidade prevista e zero de investimento publicitário.

Durante longo período mantivemos a Rede no ar, colocando no projeto todos os recursos que havíamos amealhado ao longo dos então 13 anos de empresa. As emissoras afiliadas e o mercado fonográfico estavam muito satisfeitos. Ambos reconheciam, apoiavam e prestigiavam nossos esforços. Muitos talentos musicais regionais se transformaram em nacionais, graças a abrangência geográfica da Rede. Interromper o “sonho” foi muito doloroso. As emissoras surtaram e, desmontar toda estrutura profissional que tínhamos, além de ter sido muito doloroso, dispensando profissionais dedicados e valiosos, nos custou valores que já não dispúnhamos.

Hoje, 38 anos após essa epopeia, entendemos quando ouvimos que muitos pioneiros acabam morrendo na travessia do deserto.

Nós erramos o “time”?

Erramos a estratégia comercial? Só em cima das agências, sem acionarmos os clientes diretamente?

O mercado, com a brilhante supremacia de uma rede de televisão e os benefícios financeiros decorrentes, não se debruçava no meio Rádio?

São perguntas que deixamos no ar. Quem sabe alguns leitores possam nos responder.

Uma coisa nos dá muita satisfação. Fizemos do Rádio nossa opção empresarial número um desde 1969 e com ele, felizes, estamos até hoje.

Obrigado Amigo Zé Francisco pelo áudio.

Obrigado Amigo Robson Ferri (RF-Produtora) por ter transformado o áudio em vídeo.”

Por Luiz Casali

Assista ao vídeo: Vt rede L&C low