ABA contribui para a evolução do ecossistema publicitário

A ABA — Associação Brasileira de Anunciantes — apoia as melhores práticas e luta por uma publicidade diversa, inclusiva e não estereotipada, haja vista que uma de suas principais vertentes é antecipar discussões que contribuam para a evolução do marketing. Diversidade, Equidade e Inclusão — DE&I — são pautas prioritárias na agenda estratégica da Entidade que, ao longo dos últimos anos, apoiou diversas iniciativas relacionadas a este pilar, seguindo seu propósito de mobilizar o marketing para transformar os negócios e a sociedade.Nesta perspectiva, destaca-se a publicação do livro “Reflexões — Diversidade & Inclusão”, escrito por Nelcina Tropardi e Sandra Martinelli; a participação no 1º Censo Global de Diversidade e Inclusão no Marketing, construído junto com a WFA — World Fede­ration of Advertisers, da qual a ABA é filiada e membro do Executive Committee. E também o lançamento de cinco guias que abordam essa temática: : “Guia de Diversidade & Inclusão no Processo Criativo das Marcas”, “Guia para Diversidade e Inclusão: A abordagem de um profissional de marketing”, “Guia de boas práticas de combate ao etarismo ”, “Guia para representação responsável de gênero na publicidade, e o mais recente, lançado no mês de maio, “Guia Diversidade e Representação: Foco no planejamento e compra de mídia.Os guias da ABA trazem pesquisas, reflexões, insights e cases do mercado, assim como aplicações práticas. Sendo assim um forte instrumento de orientação aos profissionais de marketing que almejam mudanças em prol da diversidade e inclusão. A ABA defende que a pauta de DE&I precisa estar inserida de forma intrínseca e diária no processo criativo das marcas e não somente aparecer uma vez por ano. Em abril deste ano, a ABA constituiu o GT (Grupo de Trabalho) de DE&I — Diversidade, Equidade e Inclusão –com objetivo de sensibilizar, estimular, gerar conhecimento e engajar as empresas associadas à entidade em relação a estes temas, a partir do conhecimento e do compartilhamento de boas práticas. Nesta primeira etapa, o grupo de trabalho estará focado na pauta “Negros e sua interseccionalidade: sua inclusão e equidade no mercado de trabalho e na publicidade”, para uma inclusão dos talentos de maneira equitativa, incluindo sua retenção e desenvolvimento. “Em mais uma ação da ABA para promover iniciativas de DE&I junto a seus associados e ao mercado de anunciantes, criamos um GT específico para trabalhar questões de grupos minorizados por nossa sociedade. O objetivo é sensibilizar, gerar conhecimento e engajar as empresas em relação à diversidade, equidade e inclusão, através do compartilhamento de boas práticas no mercado de trabalho e na publicidade. Não basta apenas aplaudir boas iniciativas, precisamos agir, fazer mais, dar o exemplo, tornar visível o que foi invisibilizado ao longo de muitos anos. Esse é o nosso principal compromisso”, destaca Claudia Neufeld, líder do GT de DE&I da ABA e vice-presidente de Marketing na The Walt Disney Company Brasil.Ao incluir DE&I em suas comunicações, as marcas abrem o caminho para a inovação, assim como ajudam a mitigar importantes questões sociais, e é isso que os consumidores esperam das organizações atualmente. “Porém, não se deve levantar bandeiras se não fizer isso com autenticidade e responsabilidade. O perigo de soar oportunista pode colocar em risco a reputação da marca. Organizações e marcas que tratam seus propósitos, não como uma vantagem competitiva, mas como um direcionador importante de posicionamento, têm a diversidade e a inclusão como componente de peso na estratégia de marketing e na jornada do consumidor. Dessa forma, fortalecem essa relação criando conexões humanas e verdadeiras, ao mesmo tempo em que zelam por suas reputações e conquistam uma melhor performance”, discorre Sandra Martinelli, presidente-executiva da ABA.Podemos listar inúmeros cases de marcas associadas à entidade, que fazem parte de uma estratégia genuína e de propósitos que as conectam verdadeiramente com seus públicos. Um dos exemplos é Amstel, marca do Grupo Heineken, associado ABA e que, desde 2019, é a cerveja oficial da Parada do Orgulho LGBT+ de São Paulo. Seguindo na prática seus valores de diversidade, liberdade, autenticidade e respeito, a marca criou a campanha I AM WHAT I AM com o objetivo de dar espaço para que as pessoas possam se expressar e serem o que quiserem ser. A campanha evoluiu com mensagens de artistas e influencers sobre o tema, ao compromisso da marca de destinar 10% de sua verba anual de mídia para iniciativas conectadas com a causa LGBTQIA+. As ações da Amstel não se limitam ao mês de junho; em 2020 promoveu a Live da Pabllo, que levantou fundos para ONGs indicadas pela cantora Pabllo Vittar; a Live oficial da Parada do Orgulho LGBT de SP; a Live Parada Solidariedade, que teve a verba levantada com a venda da sua lata revertida para a ONG da Parada LGBT de SP, entre outras iniciativas. Este ano, a empresa levou um cartório para a 20ª Feira Cultural da Diversidade da Parada LGBT+, que ocorreu em 16 de junho, no Largo do Arouche, para ajudar na retificação de nome de pessoas transgênero, custeando todo o serviço.A diversidade precisa ir muito além do mês do Orgulho LGBTQIAP+. “O modelo publicitário atual precisa mudar e excluir os seculares abismos sociais que ainda carrega, abrindo espaço para a diversidade e todas as oportunidades que se perde ao não olhar para nossa pluralidade de consumidores, bem como ajudando a quebrar estereótipos e difundir boas práticas de aceitação, diversidade e inclusão para a sociedade. Estimulamos que as marcas sejam progressivas e inovadoras e, para isso, a diversidade e a inclusão precisam fazem parte da cultura das organizações, o que refletirá no marketing e nas comunicações externas. Esse é o caminho do futuro e esperamos que nossas iniciativas contribuam para essa evolução do ecossistema publicitário”, reflete Nelcina Tropardi, presidente da ABA, vice-presidente e cofundadora da AKIPOSSO+.