domingo, fevereiro 25, 2024
Programa Grandes Nomes da Propaganda no canal Markket
InícioLançamentos de MercadoMars traz, versões importadas de M&M’S e SNICKERS

Mars traz, versões importadas de M&M’S e SNICKERS

Sempre atenta às demandas do mercado e tendo o consumidor como o centro do negócio, a Mars, detentora das icônicas marcas M&M’S e SNICKERS, inova mais uma vez e traz para o Brasil produtos importados. As novidades são os M&M’S pasta de amendoim e caramelo e o sabor amêndoa, que além de estar no portfólio dos confeitos coloridos, também chega na versão barra de SNICKERS.

Os produtos estão disponíveis para compra em todo o Brasil via e-Commerce da companhia (CompreMars) e de forma exclusiva pelo aplicativo Rappi na vertical Turbo, que faz entregas ultrarrápidas, em até 10 minutos. Nesta segunda opção, a disponibilidade é somente para os clientes que residem na cidade de São Paulo. A comercialização ocorre por tempo limitado, até acabarem os estoques.

“Atenta ao desejo dos amantes das marcas, a Mars vê nessa diversificação de sabores, formatos e embalagens a oportunidade de se adaptar ao dia a dia do consumidor e as diferentes ocasiões de consumo, tanto com porções adequadas para o consumo individual ou compartilhado, como para ser utilizado na elaboração de receitas. A ação faz parte da nossa estratégia de crescimento para os próximos anos e o Brasil é um mercado importante na geração de valor para a companhia”, destaca Fernando Stecca, gerente de e-Commerce da Mars Brasil.

Com diferentes tamanhos e gramaturas, M&M’S está apostando no sabor pasta de amendoim, em que os confeitos são de chocolate com recheio cremoso de pasta de amendoim e cobertos pela tradicional casquinha colorida, e no sabor M&M’S caramelo, também com recheio cremoso. Já para quem aprecia o sabor salgado das amêndoas torradas, a opção está disponível nas marcas M&M’S e SNICKERS. SNICKERS Amêndoa traz a combinação perfeita de amêndoa, caramelo, nougat e chocolate ao leite na gramatura de 49g.

Para viabilizar a importação para o mercado brasileiro, o preço dos desses produtos apresentam variação quanto ao valor dos produtos fabricados no Brasil.

“Uma vez que não são produzidos no país, a importação destes itens acaba gerando alteração de preços. É muito importante seguirmos antenados às pesquisas junto aos nossos consumidores e ampliando a oferta de produtos. Em poucos dias de abertura de vendas, já percebemos grande aceitação do público. Como é um projeto piloto, importamos um volume específico e estamos confirmando o sucesso da estratégia. Considerando apenas a primeira semana de vendas, em comparação com a média semanal, registramos um crescimento de 420% em nosso e-Commerce”, analisa Fernando Stecca.

Artigos relacionados

Novidades