WSL Studios lança documentário especial sobre Ítalo Ferreira

Momentos do surfista Ítalo Ferreira com a família, amigos e a namorada, Mari Azevedo; sua performance nas ondas e o grande ápice da carreira, quando se consagrou campeão mundial no ano passado, ao vencer o Circuito Mundial de Surfe (World Championship Tour) em 20 de dezembro.

Tudo isso está no documentário especial sobre a vida do atleta, produzido pela WSL Studios, que estará disponível a partir do dia 16/04, com legendas em português na plataforma da World Surf League na internet no aplicativo da Liga para dispositivos mobile e também no Canal da WSL no Youtube.

Trata-se de um episódio da ‘Sound Waves’, uma das séries produzidas e exibidas pela WSL nas suas plataformas, que retrata momentos vividos pelos melhores surfistas do mundo durante seu dia a dia, o que inclui vida pessoal, treinamentos e disputas de etapas do campeonato. Cada episódio mostra a jornada de um surfista. A série já exibiu episódios com o brasileiro Lucas Chumbo, o havaiano Kai Lenny; o californiano Conner Coffin e a costa-riquense Brisa Hennessy, entre outros.

“A WSL produz e exibe séries e documentários que retratam o universo do surfe e lançamos agora um episódio especial de ‘Sound Waves’, já que retrata o nosso mais novo campeão mundial. Os amantes do lifestyle do surfe, se ainda não acompanham a nossa programação, devem fazê-lo, pois com certeza vão gostar”, afirma Ivan Martinho, CEO da WSL para a América Latina.

O episódio de ‘Sound Waves’ com Ítalo traz cenas comoventes, com o surfista contando sobre sua infância no esporte e a vida muito humilde até conseguir, com o surfe, melhorar as condições de sua família que até hoje reside e trabalha em Baía Formosa, no litoral do Rio Grande do Norte: “Com oito anos de idade, como eu não tinha prancha, usava a tampa do isopor onde meu pai guardava os peixes que vendia nas praias. Mas como eu era muito magrinho conseguia ficar em pé nela”. Os depoimentos emocionantes dos pais de Ítalo confirmam o bom caráter e a garra do garoto potiguar que começou a surfar aos 12 anos. “Ítalo nunca fala que tem medo de nada. Sempre foi um menino dedicado, respeita todo mundo e sabe fazer bons amigos. Ensinei a ele como tinha que ser”, ressalta o pai, Luiz Ferreira de Souza.

Vários outros depoimentos fazem parte do documentário, como o da mãe do atleta Katiana Ferreira; e de seu amigo, o também surfista Jadson André: “Eu sempre tive em mim que Ítalo podia chegar no lugar mais alto”. Além de cenas da infância de Ítalo durante as refeições com a família, nos treinos, suas manobras extraordinárias no Havaí e Brasil afora, e sobretudo, o momento da conquista do título em Pipeline, no qual emocionou a todos ao dedicar a sua vitória para a avó, Mari Quinha, e ao tio Miro, falecidos um pouco antes da grande final.