Museu do Futebol cria “Museu do Impedimento”

O Museu do Futebol, em parceria com o Google Arts & Culture, iniciativa sem fins lucrativos que faz parcerias com organizações culturais, criou o “Museu do Impedimento”.

O projeto é uma experiência digital colaborativa, que convida qualquer pessoa a compartilhar documentos, vídeos, áudios e fotos sobre os anos de proibição do futebol feminino no Brasil.

Essa proibição, no Brasil, ocorreu entre 1941 a 1979. O mesmo aconteceu em outros países, como Inglaterra, Alemanha e França, em períodos diferentes. Apesar do impedimento, muitas mulheres seguiram jogando, mas suas histórias nunca foram contadas por órgãos oficiais.

“Queremos dar visibilidade à importância de recuperar a história do futebol feminino no Brasil e garantir que um público mais amplo tenha a oportunidade de conhecer as histórias dessas mulheres pioneiras que continuaram jogando bola mesmo nos anos de proibição e abriram as portas para as novas gerações”, afirma Lauren Pachaly, diretora de marketing do Google Brasil.

Até o dia 23/06, qualquer pessoa poderá compartilhar documentos, como vídeos, áudios, fotos e depoimentos sobre a proibição do futebol feminino. Basta fazer o upload do material direto no site.

“É emocionante saber que através desse projeto temos a oportunidade de contar parte da história que permanece em branco — os anos de proibição do esporte”, explica Camila Machado, atendimento da AKQA.

Para incentivar a colaboração das pessoas e divulgar a iniciativa, a campanha criada pela AKQA é protagonizada por pioneiras do esporte, como a primeira árbitra oficial de futebol Léa Campos e a artilheira do futebol brasileiro Mariléia dos Santos.

O filme da campanha tem produção da Iconoclast e trilha da Antfood. As demais peças possuem fotos por Livia Wu, site por Slikland/Madre e conteúdos extras dirigidos por Bruno Zanetti.

Para mais informações acesse o site: https://www.museudoimpedimento.com/