Guaraná Antarctica vai transformar tuítes que desvalorizam o futebol feminino em grama para campo de futebol

Parece inacreditável, mas em pleno 2021, ainda tem gente que prefere usar as redes sociais para postar comentários negativos sobre o futebol feminino. E como esses comentários não precisam ganhar audiência, neste Dia da Mulher, Guaraná Antarctica, com o apoio dos usuários do Twitter, vai receber via DM, mensagens já publicadas nas redes e imprimi-las em papel semente para criar um novo gramado para o projeto Meninas em Campo.

Essa maneira inusitada de transformar mensagens de ódio em algo útil irá beneficiar mais de 200 atletas, de 9 a 17 anos, que treinam no projeto e que sonham com o futebol profissional. “Guaraná tem como objetivo enaltecer o futebol feminino. Com essa ação criamos mais uma oportunidade para ajudar no desenvolvimento de novos talentos. Queremos que essas garotas saibam que nos próximos treinos elas irão pisar, literalmente, nos haters e, que isso possa motivá-las a seguir firme em sua jornada no esporte”, conclui Julia Chieppe, gerente de marketing de Guaraná Antarctica.

Para criar a ação, Guaraná se inspirou no comportamento dos usuários nas redes sociais. “Ainda é muito comum ver comentários negativos em relação ao futebol feminino, por isso, decidimos investir contra eles. Está na hora de deixar os preconceitos de lado e começarmos a valorizar as mulheres do futebol”, explica Giuliana Cittadino, do time de Estratégia de Conteúdo de Guaraná.

Meninas em Campo

O projeto Meninas Em Campo é uma organização social, sem fins lucrativos, com o objetivo de aumentar a dignidade de jovens, especialmente mulheres no esporte e na sociedade. Por meio da educação, do desenvolvimento das habilidades socioemocionais e da formação esportiva na busca constante pela transformação social. Todos os projetos realizados pela instituição têm foco em desenvolver e apoiar ações para o avanço na direção de algumas metas definidas pelas ODS – Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e o cumprimento da Agenda 2030 criada pela ONU.