Guaraná Antarctica inaugura lanchonete delivery com pratos regionais e uma receita exclusiva assinada pelo chef João Batista

Sabe aquela vontade de comer uma comida com o sabor de casa, típico da sua região, mas que a distância deixa só na saudade? Guaraná Antarctica sabe como é e, como uma bebida que deixa a comida brasileira ainda mais gostosa, traz para a cidade de São Paulo o restaurante on-line “Lanchonete do Naná”, que vai ajudar os consumidores a matarem aquela saudade dos sabores regionais mais famosos do país.

A Lanchonete traz em seu cardápio sabores de Norte a Sul: Bolinho de Pirarucu com molho de Tucupi, Bolinho de Arroz com Pequi, Pastel de Paçoca de Carne Seca, Cigarrete, Pão de queijo recheado com pernil, X Coração, X Polenta, Doce de Espécie, Pastelinho de Goiás e Cuscuz de tapioca.

“Guaraná Antarctica é o refrigerante que combina com tudo que é brasileiro e, neste momento que estamos em casa sem conseguir fazer aquela viagem para terrinha, resolvemos dar uma ajuda para o público matar a saudade daquele gostinho de casa. Por isso estamos lançando a Lanchonete do Naná, com vendas exclusivas por delivery, com um cardápio pensado com comidas que dificilmente encontraríamos em restaurantes da alta gastronomia de São Paulo, mas que traduzem a essência de cada cantinho do Brasil”, explica Alexandre Lemos, gerente de marketing de Guaraná Antarctica.

Para dar um gostinho especial ao cardápio, a Lanchonete do Naná ainda conta com a parceria do Chef João Batista, que traz para o público a Empadinha da Vó Corina, receita de sua família e feita com frango desfiado, quiabo, milho, requeijão e salsinha. “A comida é capaz de despertar sentimentos e transportar as pessoas para novos lugares, experiências e sabores. Para essa lanchonete escolhi a empadinha da minha avó, Corina, foi com ela que aprendi e dei meus primeiros passos na cozinha, em um restaurante para caminhoneiros na Paraíba”, conta Batista.

A ação tem criação e assinatura da agência Soko e ganha também as redes sociais.

“Sabemos da potência afetiva que aquela comida da sua terra tem, principalmente nesse momento. Nosso objetivo era matar a fome e a saudade. Apostamos em comida popular, de rua e carregada de verdade: a cara de Guaraná Antarctica”, conta Rafael Alves, Creative Data Leader da Soko.