Com criação da Africa, cidade finlandesa ganha a atenção do mundo com candidatura aos Jogos de Verão de 2032

Quanto mais perto dos polos, mais intensos passam a ser os impactos das mudanças climáticas. E Salla, o município mais frio da região da Lapônia finlandesa, já está passando por essa experiência. Por isso, decidiu fazer um alerta geral. Sofrendo com as consequências de um clima cada vez mais imprevisível e invernos mais curtos, essa pequena cidade acima do Círculo Polar Ártico decidiu dar um passo à frente ao chamar a atenção para este grave problema de uma maneira inusitada: anunciando sua candidatura para sediar os Jogos de Verão de 2032.

O anúncio logo despertou reações e questionamentos. No dia seguinte, além de contar com a divulgação de um vídeo, a iniciativa foi detalhada por meio de uma coletiva de imprensa com o prefeito de Salla, Erkki Parkkinen e outros convidados especialistas em clima.

O objetivo do anúncio era, na verdade, fazer um apelo para que todos refletissem e se sensibilizassem pela luta contra a crise climática atual. E mesmo sem a real intenção do município em apresentar a candidatura, Salla seguiu todos os passos e protocolos para sediar os Jogos de Verão, incluindo a criação de logomarca, bid book, uniformes, ações promocionais e nomeação de mascote.

“Nossa intenção aqui é clara: nós queremos manter Salla como ela é e manter nossos invernos frios e cheios de neve. Então houve essa ideia maluca: sediar os Jogos de Verão em uma das cidades mais frias do planeta”, comentou Erkki Parkkinen, Prefeito de Salla. “Se nós ficarmos para trás e não fizermos nada neste momento, deixando o aquecimento global prevalecer, vamos perder a nossa identidade. E a cidade que tanto amamos – assim como muitas outras ao redor do mundo – vai deixar de existir como conhecemos”, complementou.

A iniciativa #SaveSalla foi idealizada pela agência Africa em parceria com o município de Salla e a House of Lapland, com o apoio da “Fridays For Future”, movimento internacional pelo clima que começou com Greta Thunberg e outros jovens ativistas e que hoje continua pressionando governos e líderes políticos para que criem medidas eficazes para limitar o crescimento do aquecimento global.

“Muito mais que uma questão local, esse problema pertence ao mundo todo e, por isso, precisa ser discutido em tamanha escala. Temos o privilégio de fazer parte de uma rede internacional que nos possibilitou chegar até Salla, essa pequena cidade que nos recebeu tão bem e prontamente abraçou a ideia e sua importante mensagem ao mundo”, comentou Sergio Gordilho, Copresidente e CCO da Africa.

“Estamos preocupados com as mudanças climáticas e, como vivemos no Círculo Ártico, estamos vivenciando tudo isso antes de muitos outros”, acrescentou Parkkinen. “Não queremos ser o melhor lugar para sediar os Jogos de Verão de 2032 porque isso significaria que as temperaturas não teriam parado de subir. Esse grande evento acontece para unir pessoas e nações. Precisamos desse mesmo espírito para frear o aquecimento global”.

#SaveSalla conta com um filme bem-humorado em que os cidadãos locais já estão se preparando para as temperaturas mais altas e para sediar os Jogos de Verão de 2032, além de atletas se adaptando para substituir seus esportes habituais as suas versões de verão. A peça foi produzida pela Triatoma e dirigida por Santi Dulce. A campanha também inclui um site (www.savesalla.com) que fornece soluções práticas para enfrentar a emergência climática e um convite para que as pessoas conheçam mais sobre a Fridays For Future, além de maneiras de apoiar o movimento.

“É inevitável. Temos apenas um planeta para viver e uma imensa responsabilidade para com as gerações futuras. Todos nós podemos fazer a diferença. O que não podemos fazer, em nenhuma circunstância, é negar o problema e nos omitir. Os riscos serão graves e inevitáveis ​​”, disse Joe Hobbs, ativista da Fridays For Future e Diretor de Operações da Climate Cardinals. “O aquecimento global não precisa ser uma profecia autorrealizável e todos podem contribuir significativamente e decisivamente para interromper esse processo”, acrescentou.

A campanha já alcançou diversos locais do mundo, obtendo o apoio de organizações ambientais, ativistas e o público em geral. Depois de conseguir a atenção que buscava, esta pequena cidade da Lapônia finlandesa agora desafia todos a se juntarem à luta agindo e tomando medidas eficazes contra as mudanças climáticas.

Veja: