GNT lança documentário que debate processos de escolhas na sociedade

No mundo contemporâneo, complexo e interdependente que vivemos, será que nossos processos de escolhas são realmente livres? O documentário “Salto Livre: O Futuro das Escolhas”, produzido pelo GNT em parceria com a Inesplorato – empresa de curadoria de conhecimento -, propõe essa reflexão e aponta movimentos para um futuro em sociedade.

O filme, com narração especial da Mônica Martelli, já está disponível no YouTube do GNT é um desdobramento do estudo de mesmo nome, lançado em janeiro na Plataforma Gente, que também deu origem ao podcast “Escolhendo escolher”.

Para falar sobre o que está por trás do processo de escolha, o documentário traz como ponto de partida o experimento “Ten Meter Tower” (de Maximilien Van Aertryck e Axel Danielson), no qual os participantes foram colocados em uma plataforma de dez metros de altura e tinham que decidir pular ou não na piscina. Entre outras teses, “Salto Livre: O Futuro das Escolhas” ainda discute a influência de tecnologias como a Inteligência Artificial e Big Data – tão presentes no mundo atual, e as consequências dessas novas tecnologias em nossos processos de escolha.

“Estamos em um momento que precisamos refletir e repensar o que acreditamos por escolha individual e escolha coletiva. O documentário começou a ser produzido bem antes desse contexto de isolamento social no mundo, mas as reflexões ali são muito urgentes e, principalmente, otimistas, para a nossa vida em sociedade.” comenta Iara Poppe, Especialista de Comunicação e Branding do GNT.

O filme também conta com depoimentos de pessoas diversas como Débora Emm (Inesplorato), Dante Felgueiras (iFood), Janaína Brizante, (especialista em neurociência), MC Stefanie (rapper), Carlos Humberto da Silva Filho (Diáspora.Black), entre outros. Cada entrevistado falou a partir de sua experiência profissional e pessoal, evidenciando a necessidade de repensar que liberdade de escolha não existe com total autonomia, que não estamos no controle como acreditamos, e que os seres humanos estão condicionados a tomar decisões de acordo com sua história e em sintonia com outros indivíduos.