Emicida estreia documentário no GNT

O GNT exibiu a primeira parte do documentário “AmarElo Prisma”, projeto sob o comando do rapper Emicida. A iniciativa busca promover, por meio da empatia, uma mudança de comportamento que permita maior respeito à pluralidade do Brasil. É através de narrativas pessoais e de muito bate-papo que o artista joga luz sobre soluções coletivas, trazendo ideias de como as pessoas podem viver melhor em sociedade.

“É importante lembrar que precisamos uns dos outros. E, para o sistema funcionar direito, todas as partes precisam estar saudáveis”, diz Emicida.

Dividido em dois episódios, com exibição semanal, o documentário é guiado por quatro pilares que inspiram o rapper – paz, clareza, coragem e compaixão. “Quando você tem um ambiente de paz, consegue alcançar a serenidade e observar a realidade com maior clareza e capacidade de reflexão”, explica o artista. “Daí, é possível se conectar com a sua própria compaixão, se colocar no lugar do outro e, assim, mudar a realidade”, explica.

Uma realização da Laboratório Fantasma em parceria com a agência criativa Mutato, “AmarElo Prisma” é um desdobramento do celebrado trabalho de estúdio, AmarElo, lançado por Emicida no ano passado.

“Queremos ajudar o artista a transformar vidas e histórias de maneira positiva. O documentário transmuta a inspiração de Emicida na busca por soluções coletivas que podem ajudar as pessoas em um período difícil como esse, em que precisamos cuidar mais uns dos outros”, afirma Andre Passamani, CoCEO da Mutato.