Conspiração apresenta novo núcleo de Desenvolvimento e Criação

A Conspiração estruturou um núcleo de Desenvolvimento e Criação, que fará a curadoria e a gestão criativa de projetos e propriedades intelectuais da produtora. Os objetivos são garantir um atendimento completo do desenvolvimento de todas as criações da casa – tanto do ponto de vista artístico quanto de negócios -, e atender o crescimento da demanda de players internacionais no mercado audiovisual.

Clarisse Goulart, há 20 anos no mercado audiovisual, dois deles como Gerente de Business Affairs na empresa, assume a liderança da área, agora, sob o título de Diretoria de Business Affairs e Desenvolvimento de Projetos. A área tem o desafio de manter o volume de ideias da produtora, contemplando a diversidade na oferta de temas, gêneros, público e faixa etária. Sendo assim, encabeça o mapeamento de talentos e propostas vindas de diferentes fontes, como o mercado literário ou de podcasts. Também fica responsável por gerenciar autores e salas de roteiro, e a relação com canais e plataformas de distribuição – centralizando toda a etapa de desenvolvimento.

“É um passo importante para o fortalecimento dos novos negócios da produtora, que inclui a promoção da imagem da América Latina para o mundo, alinhado ao propósito de encontrar sempre a melhor versão de cada história que contamos”, diz Clarisse Goulart. Tendo em vista a constante mudança na forma de consumo de conteúdo, o núcleo de Desenvolvimento e Criação fica ainda à frente da busca por novos formatos para diferentes tipos de telas e parcerias, expandindo sua expertise e reforçando sua posição como porta de entrada de marcas para o entretenimento.

Uma das maiores produtoras independentes do Brasil, a Conspiração é vencedora do Emmy International de Best Comedy, com “A Mulher Invisível”, e tem 6 indicações ao maior prêmio da TV internacional, o Emmy. Realizadora de séries como “Sob Pressão” (TV Globo), “Magnífica 70” (HBO), “1 Contra Todos” (Fox), soma 36 títulos de longas lançados. No cinema participou dos festivais de Cannes, Berlim, Veneza, Toronto, e foi responsável pelos blockbusters brasileiros “Vai Que Cola”, “Eu Tu Eles” e “2 Filhos de Francisco” – indicação oficial do Brasil ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.