Pulso do Dia dos Namorados traz insights curiosos para o varejo

O Dia dos namorados, uma das principais datas do varejo, promete movimentar mais ainda o e-commerce neste ano. O Pulso, informativo periódico feito pela Score, empresa especialista de retail e shopper experience da B&Partners.co e pela Hibou apontou que a maioria das pessoas não pretendem ir às lojas físicas para fazer compras. A pesquisa colheu informações de 2.419 pessoas para identificar as tendências e detalhar as escolhas dos consumidores nos próximos dias, as compras pela internet se destacam nos resultados.

O Pulso também apontou que 52,7% das pessoas irão comemorar a data produzindo um momento em casa, 4,6% pretendem sair para jantar e 39,1% ainda não decidiram.

“Aparentemente grande parte das pessoas estão optando por manter o distanciamento e irão celebrar a data em casa. É uma oportunidade das marcas pensarem em experiências diferentes para os consumidores, desde a compra até o ato da entrega. Criatividade e inovação nas entregas se tornaram os assets mais importantes nos últimos tempos, quando a marca propõe isso, indo além da proposta do produto, faz toda a diferença.” comenta Albano Neto, VP de estratégia da Score.

Quando perguntado sobre onde será comprado o presente da data romântica o resultado fica bem dividido entre o e-commerce e pessoas que não compram presente na data.

  • Pela internet: 36,9%
  • Na loja física: 21,0%
  • O presente será um jantar/viagem/experiência fora de casa: 8,1%
  • Pick-up (encomendar e retirar): 2,6%
  • Não se aplica, não compro presente para a data: 37,6%

Ainda nessa esfera, o resultado da pergunta sobre onde a compra pela internet será feita mostra três principais canais: Sites de redes de varejo 100% digitais: 35,8%, Site da marca: 33,8%, Portais: 23,9%. Quanto aos segmentos que poderão ser o presente, destacam-se: Vestuário: 47,3%, Perfumes: 40,5%, Viagem: 37,3%, Joalheria: 34,9% e Calçados: 31,2%.

“Bens de consumo se destacam nas opções de presente. Viajar ficou em terceiro lugar e o segmento de alimentação e bebida aparecem pouco. A pesquisa também apontou que as pessoas irão buscar pelo melhor preço e por itens que não precisem ser trocados, e quando perguntamos sobre valor, 42% pretendem gastar até R$100,00 no presente.”completa Ligia Mello da Hibou

A expectativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) é de que as compras virtuais aumentem 18% em relação a data em 2020.

O relatório completo do Pulso poderá ser baixado aqui.