sexta-feira, junho 21, 2024
Programa Grandes Nomes da Propaganda no canal Markket
InícioDestaquesMadonna, ame ou odeie essa marca pessoal.

Madonna, ame ou odeie essa marca pessoal.

Por Paulo Moretti:

Antes de começar primeiro quero deixar claro que não estou aqui para enaltecer ou crucificar a Madonna, tenho minhas convicções quanto a ela, porém as mesmas não vêm ao caso, pois a ideia aqui é ter um olhar para marca pessoal “Madonna”, suas ações e o que tudo isso impacta a gestão dela.

Não temos como negar que a Madonna é um grande case de personal branding, poderia dizer que há algum tempo ela é um negócio, e cá entre nós, muito lucrativo. Rapidamente e de maneira fácil, poderia dizer que essa marca pessoal tem muito bem definida seus valores, crenças, seu público-alvo e tudo mais que uma marca pessoal necessita para uma gestão de sucesso. Uma marca pessoal que gera conexão com vários stakeholders, sejam eles, outras marcas pessoais ou marcas corporativas que desejam um co-branding para obter maior visibilidade e ganhos.

A presença de Madonna no Brasil para um show é sempre um evento que desperta grande atenção, tanto pela magnitude da artista quanto pelas mensagens e polêmicas que a acompanham. Neste artigo, exploro a repercussão do espetáculo da Rainha do Pop no país, desde as reações dos fãs mais entusiasmados até as críticas mais ferrenhas. Farei um paralelo entre a gestão da marca pessoal de Madonna e os desafios enfrentados por outros profissionais e figuras públicas na manutenção de suas próprias identidades de marca.

A Marca Madonna

Desde o início de sua carreira nos anos 1980, Madonna se destacou como um ícone cultural e inovadora na indústria do entretenimento. Conhecida por reinventar sua imagem e som constantemente, a cantora construiu uma marca que transcende sua música. Sua identidade está intrinsecamente ligada a temas como sexualidade, empoderamento e rebeldia, pontos que atraem e repelem muitos. Ao longo das décadas, Madonna desenvolveu uma personalidade pública que incorpora não apenas sua arte, mas também seus valores, crenças e posicionamentos sociopolíticos.

Para muitos, ela é um exemplo de autenticidade e inovação. Para outros, suas estratégias de marketing são vistas como controversas ou até mesmo provocativas. Independentemente das críticas, entendo que é inegável que Madonna sempre soube como administrar sua marca pessoal e se manter relevante em uma indústria volátil e competitiva que é a do showbiz.

 

A Repercussão do Show no Brasil

A turnê mais recente de Madonna, que incluiu apresentação no Brasil, gerou entusiasmo entre seus fãs mais fiéis e reacendeu debates sobre sua postura, performance e capacidade de inovação. A repercussão, tanto positiva quanto negativa, foi evidente nos meios de comunicação e nas redes sociais, com uma enxurrada de elogios e aplauso das mídias e fãs, mas também a mesma quantidade de críticas. Diria até que o embate está bem equilibrado. Mas essa marca, de certa forma controversa, nos mostra como impacta e como reagem aqueles que cruzam seu caminho.

 

· Reações Positivas:

Os fãs que compareceram aos shows elogiaram a energia da cantora, sua presença cênica e o esforço para criar uma experiência memorável. Muitos destacaram a influência histórica de Madonna na música e na cultura pop, e como seus shows continuam sendo uma celebração de sua contribuição para a indústria. A produção grandiosa, as coreografias ousadas e os figurinos extravagantes foram destacados como pontos altos do espetáculo.

· Críticas Negativas:

Por outro lado, houve críticas sobre a qualidade vocal e a escolha do repertório, além de questionamentos sobre a relevância da artista nos dias atuais. Adicionalmente, alguns detratores consideram que a cantora força controvérsias para se manter relevante, o que pode desagradar a certos segmentos de público.

 

A Gestão da Marca Pessoal: Lições de Madonna

Mas voltando ao mundo da marca que é o que nos interessa, os altos e baixos, as polêmicas e tudo mais que envolve a marca Madonna, para mim refletem muitos dos desafios que outras figuras públicas, executivos C-Level´s e outros profissionais enfrentam ao gerenciar suas marcas pessoais. Abaixo, destaco algumas lições que podem ser aplicadas a profissionais de diversos setores:

 

1. Reinvenção constante:

A capacidade de Madonna de se reinventar ao longo das décadas é uma das razões para sua longevidade no cenário musical. Ela constantemente revisa sua imagem e som para se alinhar com novas tendências e públicos. Essa flexibilidade pode ser uma lição valiosa para qualquer

profissional que deseja se manter relevante ao longo do tempo. Adaptar-se às mudanças de mercado e ajustar sua marca pessoal conforme necessário pode abrir novas oportunidades.

 

2. Identidade clara e consistente:

Apesar de mudar sua aparência e estilo musical, a marca de Madonna mantém uma identidade clara, caracterizada por mensagens de empoderamento, liberdade e desafio ao status quo. Ela desenvolveu uma conexão emocional com seu público ao expressar esses valores de forma consistente. Isso demonstra a importância de ter uma mensagem central e valores bem definidos na gestão da marca pessoal.

 

3. Enfrentar a controvérsia:

Madonna nunca se esquivou de temas polêmicos, pelo contrário, ela frequentemente os usa para reforçar sua posição como ícone cultural. Embora controversas, suas ações geram discussões e mantêm seu nome nos holofotes. Para outras profissionais, isso pode significar a importância de abraçar seu próprio ponto de vista, mesmo quando impopular, desde que esteja alinhado com seus valores e não prejudique sua credibilidade.

 

4. Conheça o público-alvo:

Mesmo com sua constante reinvenção, Madonna mantém uma base de fãs dedicada, ela sabe quais públicos respondem melhor ao seu estilo e mensagem e investe em manter essa conexão. No entanto, ela também está disposta a correr riscos para conquistar novos admiradores. Entender as preferências e expectativas do público-alvo pode ajudar na criação de estratégias eficazes para expandir e fortalecer a marca pessoal.

 

5. Superar os desafios:

A longevidade da carreira de Madonna também pode ser atribuída à sua habilidade de superar desafios e críticas. Ela já enfrentou boicotes, censura e falhas em turnês anteriores, mas sempre encontra formas de se recuperar e continuar inovando, quase uma fênix. Encarar obstáculos com resiliência é essencial para a manutenção de qualquer marca pessoal.

 

Como disse minha intenção aqui não é saber se Madonna está certa ou errada, se é “ok” o que ela faz ou uma afronta a sociedade. Já disse e repito quanto a isso tenho meu posicionamento, mas o foco aqui é outro, a gestão da marca pessoal e como podemos olhar esse case e utilizá-lo como inspiração para gerimos nossas marcas pessoais.

A gestão da marca pessoal é um processo que exige estratégia, autenticidade e disposição para assumir riscos, e Madonna é um exemplo notável de como essas qualidades podem ser empregadas com sucesso. Mesmo diante de críticas e controvérsias, ela se mantém relevante e continua a gerar discussões, sempre fiel à sua visão e valores.

Sua presença no Brasil foi um lembrete da influência que figuras públicas podem exercer na sociedade e na cultura popular. Analisando a repercussão de seu show no país, podemos aprender lições valiosas sobre como construir, proteger e reinventar marcas pessoais, mantendo-se autêntico e resiliente ao longo do caminho.

E você havia parado para olhar essa marca pessoal como uma inspiração para a gestão da sua marca?

Agora você compreendeu a importância da gestão de marca pessoal e que você precisa fazer a sua, até porque ninguém irá fazer isso por você!

Então, Bóra Trabalhar!

Meus contatos www.paulomoreti.com e-mail:contato@paulomoreti.com

Instagram:@opaulomoretil

inkedin: paulo-moreti

Artigos relacionados

Novidades