História da Ambev é mote do livro “De um gole só”

“De um gole só – A história da Ambev e a criação da maior cervejaria do mundo.” Este é o título do livro de estreia da jornalista Ariane Abdallah, ex-repórter das revistas TPM (Editora Trip) e Época Negócios (Editora Globo), cujo mote resume a empreitada da autora nos últimos três anos para contar de modo independente a saga da Anheuser-Busch InBev.

Editado pelo Portfolio-Penguin, selo de negócios da Companhia das Letras, o livro, que está em pré-venda desde o final de maio, será lançado na capital paulista na próxima quinta-feira, 27, a partir das 19h, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi. Na ocasião, Ariane Abdallah recebe convidados ilustres para um bate-papo descontraído com Fernando Luna, diretor editorial da Editora Globo, e sessão de autógrafos logo em seguida.

A obra narra como os brasileiros convenceram os líderes do setor mundial a se unirem a eles, ou a venderem seus negócios, os choques de cultura a cada nova fusão ou aquisição, e o peso de se tornar uma referência em gestão. As vitórias, os aprendizados e as crises também são contados com riqueza de detalhes no livro, assim como os desafios na tentativa de reverter a imagem polêmica que se criou entre os consumidores brasileiros. Os dilemas de ter se tornado um gigante num setor em transformação, sem um caminho claro para continuar crescendo, além da crise atual, que coloca em xeque o modelo de gestão que trouxe sucesso à multinacional, também são ingredientes de “De um gole só.”

“Esta é uma história improvável: sobre como uma empresa familiar obsoleta, ineficiente, nascida em um país de economia emergente, se tornou a maior do mundo em seu setor. Meu objetivo foi fazer um livro sóbrio, sem juízo de valor. Quem conhece e quem não conhece a história terá a oportunidade de conhecer ainda mais e, quem sabe, reconhecer seu valor”, pontua Ariane Abdallah, que, a propósito, não bebe cerveja. Durante o processo de criação da obra, que chegou a três anos de pesquisa, a jornalista entrevistou cerca de 170 pessoas, entre ex-funcionários, investidores, fornecedores, concorrentes e especialistas de mercado. Abdallah conquistou acesso inédito aos principais executivos da companhia e pessoas próximas a ela, visitando operações da empresa em São Paulo, Nova York, St. Louis, Leuven e Joanesburgo.