terça-feira, abril 23, 2024
Programa Grandes Nomes da Propaganda no canal Markket
InícioMercadoFIAP 2023. Círculo de Círculos de Iberoamérica apresenta os grandes desafios do...

FIAP 2023. Círculo de Círculos de Iberoamérica apresenta os grandes desafios do setor na região

Representantes de Círculos Criativos e associações da América Latina resumiram os principais desafios que enfrentam na região com as seguintes palavras: unir, profissionalizar, tornar visível, revalorizar e inovar, durante a mais recente edição do FIAP Face to Face Webinar “Desafios e soluções : Os principais problemas enfrentados pelas instituições criativas”.

O encontro reuniu Marianna Souza, presidente da APRO, Brasil; Dulce Lozada, vice-presidente de desenvolvimento de negócios da BESO by LLYC México e presidente do Conselho de Agências da IAB México; Mariela Ramos, fundadora e diretora criativa da Netto, Paraguai e vice-presidente do Círculo de Criativos del Paraguai; Daniel Achaval, CEO e sócio da OniriaTBWA, Paraguai e vice-presidente da Associação Paraguaia de Agências de Publicidade, e Gil Blancafort, fundador/Fazedor da VERTICALLY e membro do c de c da Espanha; e moderado por Mara Fernández, Chief Transformation Officer da PRODU.

Cada uno habló sobre lo que están haciendo para mejorar las condiciones de la industria publicitaria en un contexto de grandes transformaciones, entre las que se destacan las reducciones presupuestarias y nuevas tecnologías como la inteligencia artificial, entre otras.

Daniel Achaval explicou que no Paraguai estão focando muito na revalorização da publicidade local, que teve evolução em várias áreas e retrocesso em outras. “A negociação constante com o procurement fez com que os custos diminuíssem muito e isso também está fazendo com que, de alguma forma, hoje sejamos vistos mais como um fornecedor de coisas do que como um aliado”, disse. Por isso eles estão trabalhando em uma migração mais para consultores do que para uma agência porque todas as ideias que eles estão propondo têm que resolver um problema real. “E temos que fazer esse posicionamento do sindicato porque ao mesmo tempo existe um desnível na oferta de serviços. Não existe um critério mínimo para estabelecer o que é agência e o que não é, então também tem coisas que são mais internas e coisas que são externas”, acrescentou.

“No nível da ameaça, hoje sentimos que a pulverização da mídia e a economia da distração é um acréscimo que também temos que trabalhar”, afirmou. “Hoje, a principal criatividade do país não está acontecendo nas agências e isso é uma dor com a qual você tem que lidar, mas não se frustrar, pelo contrário, você tem que sair e lutar”, lamentou, enfatizando que atualmente uma boa ideia pode ser oferecida por qualquer ‘cara com telefone’, que também terá muito mais interação e tudo o que as marcas procuram. “Porque hoje as marcas estão mais na interrupção do que na atração”, concluiu.

Souza disse que estão trabalhando com o governo brasileiro para conseguir um ambiente verdadeiramente competitivo na área de produção audiovisual. Para isso estão negociando com o Mercosul e os países membros desse mercado. Ele se refere aos desafios impostos pela inteligência artificial nesse setor e também por produções mais sustentáveis.

“Nós aqui no Brasil sofremos muito com a pressão de orçamentos cada vez menores, são tempos difíceis mas acreditamos que pode ser uma oportunidade de pensar diferente e agir diferente”, completou Souza.

Dulce Lozada explicou que desde o IAB México se busca a especialização tecnológica e a profissionalização dentro da indústria, não só nas agências, mas também para os clientes. “Neste sentido, estamos a levar a cabo diferentes iniciativas para orientar os nossos clientes sobre como nos devem ‘brief’, como devem lançar um projecto, quais são as orientações mínimas que devem ter em conta para poderem pitch, e nós também como agências em abraçar essas mudanças tecnológicas e essas mudanças situacionais que temos hoje para fazer o nosso trabalho melhor.”

Ele acrescentou que a tecnologia pode ser uma ferramenta para aumentar a criatividade e recomendou que os criativos não tenham medo de tecnologias como o ChatGPT. “É uma ferramenta para se reunir e fazer melhor o seu trabalho, porque você já tem pensamento estratégico ou porque já sabe como as coisas são feitas.

Um dos desafios para Mariela Ramos é como revalorizar a criatividade para as marcas, trabalhar em conjunto para que possam revalorizar as ideias e todos os serviços que oferecem e não serem apenas consultoras, mas trabalharem em equipa.

Da mesma forma, outro grande desafio que Ramos mencionou é a questão do talento. “Temos visto que há muita fuga de cérebros no que é criatividade, por isso um grande desafio para nós é como podemos fazer com que a publicidade continue a ser relevante e interessante para os jovens, para a próxima geração”, disse. Por isso, no Paraguai estão trabalhando na capacitação na área publicitária em alianças nacionais e internacionais para que os jovens tenham acesso a essas capacitações e que a publicidade continue sendo relevante.

De Espanha, Gil Blancafort referiu vários desafios e acordou com Achaval para se concentrar em dar mais valor a nível criativo. “Para mí uno de los grandes retos que tenemos que amplificar toda la industria, todos los creativos, los estrategas, las agencias independientes, planners, la gente de cuentas, etcétera, es que tenemos un valor que es indiscutible, incalculable y solo lo tenemos nós. Eles têm a tecnologia, mas nós temos uma coisa que é mágica, muito difícil de entender e colocar dentro dessas grandes corporações para que depois funcione e realmente se transforme em ideias ou serviços ou produtos inovadores que vão muito além” .

Ele acrescentou que, como criativos, eles não fazem apenas anúncios. “Fazemos muitas outras coisas. Temos recursos analíticos que poucas indústrias têm, e então a IA apareceu e o metaverso apareceu e o homem pousará na lua novamente no próximo ano; mas a criatividade é um intangível que tem um valor incalculável”.

Ver FIAP Face to Face Webinar “Retos y soluciones: Las principales problemáticas que enfrentan las instituciones creativas”

 

Artigos relacionados

Novidades