Expo Retomada assina Carta de Santos com entidades da indústria

A organização da Expo Retomada, que abriu a agenda dos 30 eventos-teste do Governo do Estado de São Paulo, juntamente com os representantes de cinco entidades realizadoras do evento – ABEOC BRASIL, ABRACE, SINDIPROM SP, UBRAFE e Visite Santos – acabam de assinar a Carta de Santos.

O documento é um manifesto em prol do setor de eventos de negócios, com o posicionamento das principais lideranças a favor da legalidade dos eventos presenciais com a aplicação de protocolos comprovados; o reconhecimento da amplitude econômica, de conteúdo e de geração de negócios do setor de feiras, congressos e eventos de negócios; o reconhecimento de que o setor não pode ser confundido com outros tipos de eventos e o posicionamento favorável e incentivador à ampla vacinação da população.

“A Expo Retomada foi uma oportunidade para discutirmos a atualização de conhecimento e a vivência de protocolos. O próximo passo é conversar com interlocutores nos três níveis de poder o que pudemos mostrar no evento. Não queremos que o dia a dia do setor fique longe da legislação. Queremos a flexibilização consciente. Somos pró legalidade. A Carta é dirigida aos legisladores para entenderem a magnitude e os desafios do nosso setor, além de reverberar o que foi discutido na Expo”, afirma Paulo Octávio Pereira de Almeida, diretor da Live Marketing Consultoria e um dos idealizadores da Expo Retomada.

Somente a indústria de Eventos impacta mais de 50 setores da economia e movimenta, anualmente, no país, mais de R$ 930 bilhões, o que representa quase 13% do PIB – índice maior que o das indústrias automobilística, farmacêutica e a petrolífera -, com a geração de 25 milhões de empregos diretos e indiretos. “Agora, é o momento de começar a recuperar a confiança, mostrando que com a aplicação de protocolos de segurança testados e comprovados, é possível voltar a movimentar os eventos de negócios”, defende o diretor da Rede Feiras e um dos idealizadores da Expo Retomada, Fernando Lummertz.