Agência Newton mapeia mudanças no comportamento do consumidor durante a pandemia

Dando continuidade aos esforços para levar informações confiáveis sobre os efeitos da pandemia no mercado publicitário para agências e anunciantes, a Agência Newton, especialista em inteligência digital, apresenta o Estudo Covid-19: Comportamento do Consumidor. Este é o quarto relatório criado pela agência sobre os efeitos da Covid-19 no mercado, e traz informações consolidadas de pesquisas realizadas entre maio e junho de 2020.

Dedicado à análise do comportamento do consumidor no agravamento da crise social e econômica decorrentes da pandemia, o estudo apresenta informações sobre expectativas de retomada, posicionamentos esperados das marcas e novos hábitos de pesquisa, compra e pagamento.

Ao analisar a queda no índice de isolamento social praticado pelo brasileiro, o estudo aponta que, apesar de mais pessoas terem retomado a rotina de trabalho no mês de junho, a expectativa para reabertura de espaços sociais e de consumo tem diminuído, denotando uma conscientização do consumidor sobre o impacto de uma retomada prematura na prolongação das limitações às atividades econômicas e sociais.

O paradoxo entre a queda no isolamento social e a percepção sobre a prolongação da crise econômica decorrente da retomada extemporânea das atividades não essenciais demonstra a fragilidade das políticas públicas e a fragmentação no discurso oficial sobre a importância da quarentena no abreviamento da crise. Esse vácuo na liderança governamental oferece espaço para que as marcas promovam políticas de responsabilidade social em suas bases de consumidores, com a geração de conteúdos e informes assertivos e empáticos sobre a importância do isolamento social e as práticas de segurança necessárias aos profissionais que precisam retornar aos ambientes corporativos.

A atuação afirmativa das empresas durante a pandemia é um dos destaques no relatório, que aponta a crescente importância do posicionamento e das ações de responsabilidade social na percepção do consumidor sobre a marca. Em pesquisa realizada pelo Google e pela MindMiners, que ajuda a substanciar o relatório, 77% dos consumidores enxergam de forma positiva companhias engajadas em soluções para desafios decorrentes da Covid-19, dos quais 68% apontam essa atuação como fator que contribui para intenção de compra. Os entrevistados apontam ainda como esperam que as marcas contribuam neste momento, com doações, manutenção do emprego e geração de conteúdo sendo as atitudes mais valorizadas.

Sobre os efeitos no comportamento e rotina dos consumidores, o estudo aponta as mudanças mais sentidas e os mecanismos e plataformas utilizados para amenizar essas sequelas da pandemia. Enquanto as limitações na liberdade de circulação (69%), a interrupção dos relacionamentos sociais presenciais (57%) e a preocupação com a situação financeira (69%) despontam enquanto efeitos mais sentidos pelos consumidores, o consumo de entretenimento em plataformas digitais e a utilização de ferramentas de comunicação remota são apontados como os principais veículos para mitigação desses sintomas. A crescente presença dos consumidores nas redes sociais, demonstrado no gráfico abaixo, aponta plataformas e conteúdos que guardam oportunidades para as marcas engajarem seus públicos durante o isolamento social.

Além do entretenimento e das plataformas de comunicação, o público tem utilizado a internet com mais frequência para consumir. Durante o mês de março, o comércio eletrônico brasileiro registrou um aumento de 32,6% no volume de negócios, e 70% dos entrevistados afirmam ter realizado uma compra virtual nos últimos sete dias.

A migração para o comércio eletrônico é acompanhada por outras adesões à digitalização da economia, como a migração para métodos virtuais de pagamento e o fortalecimento do trabalho remoto. Para as empresas, engajar com os consumidores neste ambiente digital espargido e promover a transformação digital de seus negócios, com a criação de soluções de comunicação e compra nativas, deixa de ser uma preocupação acessória, demonstrando que a pandemia atua como consolidadora de tendências na economia digital.

 

Para perseverar nesta nova configuração social da economia, o estudo aponta a importância para as marcas em terem um posicionamento assertivo e realizarem ações de auxílio, como produção de conteúdo e proteção aos seus colaboradores, além de buscarem soluções digitais de comunicação e comercialização para atingir seus consumidores nos ambientes digitais que frequentam.

 

Você pode ler o Estudo Covid-19: Comportamento do Consumidor, além dos demais conteúdos sobre a pandemia criados pela Newton, no site da agência.