ABAP e a Fenapro esclarecem informações citadas em ataque proferido nas redes sociais contra a agência de publicidade W/ McCann

Em defesa da publicidade brasileira, a ABAP e a Fenapro esclarecem informações citadas em ataque proferido nas redes sociais contra a agência de publicidade W/ McCann. Glaucio Binder, presidente da Fenapro, diz que as informações sobre o custo de produção de peça publicitária para o Banco do Brasil são incorretas.

“Não procede a informação de que a peça tenha custado R$ 17 milhões. Segundo esclareceu a própria agência, o custo de produção foi de cerca de R$ 1 milhão. Esta informação pode ser verificada facilmente através de notas fiscais de prestação de contas em poder do próprio cliente. Agências de publicidade que atendem contas públicas atuam em sintonia com a legislação e as regras dos órgãos de controle, como a CGU. É fundamental antes de propagar informações imprudentes que se busque entender como funciona a atividade e a complexidade de uma campanha ou plano de mídia.  Nossa atividade é considerada referência mundial pela sua qualidade e profissionalismo, responsável por gerar 550 mil empregos (diretos e indiretos), além de promover a riqueza de milhares de empresas brasileiras, valorizando marcas e vendendo produtos.”, esclarece Glaucio.