quinta-feira, julho 25, 2024
Programa Grandes Nomes da Propaganda no canal Markket
InícioDestaquesCrônicas da Fispal: Nunca Foi Sorte

Crônicas da Fispal: Nunca Foi Sorte

Nunca foi sorte. Esta frase ecoa nas entrelinhas das histórias de grandes descobertas e realizações. Imagine a cena: uma maçã despenca da árvore e atinge Isaac Newton. Neste instante, a lei da gravitação universal é descoberta. Mas será que foi sorte? Ou foi a mente curiosa e observadora de Newton que transformou uma simples maçã em uma revelação? Foi sorte Marie Curie ser a única pessoa a ganhar o Nobel em duas disciplinas científicas (Física e Química)?

A história da Fispal, a maior feira de alimentos e bebidas da América Latina, é marcada por momentos de epifania, trabalho árduo e habilidade de ver oportunidades onde outros enxergam apenas o cotidiano. Há quarenta anos, a Fispal nascia pequena e promissora, como uma semente plantada no solo fértil da inovação.

Leonardo da Vinci, com sua mente brilhante e incansável curiosidade, enxergou um futuro inacessível para a sociedade da sua época. Nas artes e nas ciências, desenhou máquinas voadoras e, de quebra, nos deixou entre outras coisas a Monalisa. Não foi sorte o legado que ele deixou; foi a soma de sua paixão, talento e a busca incessante por conhecimento.

Da Vinci viu o extraordinário no ordinário, tal como a Fispal enxergou potencial em cada inovação, em cada expositor.

Ao longo dos anos, a Fispal cresceu exponencialmente e se transformou em uma plataforma de negócios perene e imprescindível para a indústria de alimentos e bebidas. Cada edição é fruto de planejamento meticuloso, de ouvir o mercado, de antecipar tendências e de criar um ambiente propício para negócios e inovações. A Fispal se tornou um ponto de encontro onde maçãs caem em nossas cabeças o tempo todo, onde o futuro do setor é discutido e moldado.

Clélia Iwaki e Daniel Corigliano, junto com uma equipe phodástica, lideraram uma revolução baseada em agregar valor à Fispal. Clélia tem uma visão muito clara sobre a Fispal de hoje: “É uma mulher de 40 anos, plena, madura, muito bem resolvida, que sabe porque existe, sabe o que quer e para onde está indo, que cumpre o seu papel com responsabilidade, sabe ter dignidade, com transparência, com clareza. A Fispal está na fase mais linda que existe na vida de uma mulher de 40 anos, jovem, linda, viçosa, com uma energia maravilhosa e com sabedoria adquirida, na plenitude da vida e absolutamente antenada com tudo de novo.” Nós ficamos ali concordando em discordar, porque para ela a Fispal contou com a sorte, e para mim é a sua voz interior sendo complacente com o acaso e com o papai do céu. Porque essa mulher que ela acabou de descrever teve mesmo foi muita ralação pra chegar onde chegou.

O frenesi nos corredores cheios de curiosos pode, para uns, parecer fileiras de estandes, mas para os olhos atentos, cada corredor é um intrincado celeiro de oportunidades. Por isso, é sempre bom caminhar com o fio de Ariadne em mente para não se perder e ser devorado pelo labirinto de informação.

E assim, o que começou como uma feira se transformou em uma plataforma de negócios. As exposições de produtos e inovações deram lugar a uma programação educativa robusta, com palestras, workshops e seminários. Surgiram espaços dedicados às startups, incentivando novos empreendedores a apresentarem suas ideias ao mundo.

A feira se internacionalizou, atraindo visitantes e expositores de todos os cantos, e criando um ambiente de intercâmbio cultural e comercial.

Os expositores começaram a ver a Fispal como mais do que uma feira anual; ela se tornou uma comunidade, um espaço onde se discutem as melhores práticas, se formam parcerias estratégicas, compartilham histórias de sucesso, aprendizado e muito conteúdo relevante.

Cada edição trouxe algo novo, um degrau a mais na escada do progresso. A Fispal se tornou o coração pulsante da indústria de alimentos e bebidas, sempre à frente das tendências, sempre em busca do próximo passo.

Quarenta anos depois, a Fispal continua a ser o epicentro da inovação, o farol dos negócios para a indústria de alimentos e bebidas, com visão estratégica e capacidade de transformar o ordinário em algo extraordinário.

Porque, afinal, nunca foi sorte.

Afonso Abelhão é CEO da agência BigBee e Diretor de Comunicação, Tecnologia e Inovação na APP – Associação de Profissionais de Propaganda. Contato: afonso.abelhao@bigbee.com.br

Artigos relacionados

Novidades