BIS lança campanha para o consumidor parar de comer o produto

BIS, a marca que há quase 80 anos faz parte da vida dos brasileiros, já inventou grandes sacadas neste ano: criou seu próprio concorrente, lançou seu time de embaixadores e agora traz um posicionamento ainda mais ousado: desafia o público a parar de comer BIS. Exatamente.

Na primeira fase da “anti-propaganda” Controle o Descontrole, o consumidor é desafiado a não pensar, a não comer e controlar seu desejo por BIS. O conceito criativo foi idealizado pela agência DAVID São Paulo.

Encontrando maneiras inusitadas para conversar com seu público, a marca entra de cabeça no seu ponto forte: o humor. A estratégia de digital conta com um filme de 30’ que traz um locutor alertando sobre o desafio de não pensar em comer BIS. Em seguida, ele propõe que as pessoas pensem em algo diferente e que tentem resistir à vontade. Filmetes e Skip Ads no Youtube sustentam as conversas, além de ações de OOH.

 

Com ativações que iniciaram com um time de influenciadores de peso – entre eles, John Drops, Marcela Montellato, João Akel, Bielo Pereira, Julio Beltrão, Gabriel Miras, Lucas Paiva, Gkay, Lucas Guedez, Rafa Uccman – BIS seguiu com posts divertidos nas suas redes sociais fomentando o desafio.

Segundo Renata Vieira, Diretora de Chocolates da Mondelēz Brasil, a comunicação de BIS tem tomado um caminho consistente e original. “É empolgante ver uma marca que faz parte da vida dos brasileiros há quase 80 anos se renovar, aprender a conversar com o consumidor, rejuvenescer. BIS é engraçado, é democrático e é descontrole! Nossa ideia aqui é justamente mostrar às pessoas que pode ser divertido assumir o descontrole e entrar na brincadeira.”

Rafael Donato, VP de criação da DAVID, reforça o desafio de manter a comunicação de BIS sempre autêntica. “Bis é um produto tão bom que a galera acaba se descontrolando. Por isso tomamos a atitude responsável e fizemos uma anti-propaganda, para tentar convencer as pessoas a não comerem tanto BIS. Infelizmente, não acreditamos que vai dar certo. Afinal nenhuma propaganda é páreo para um pacote de BIS”.

Assista: