Leo Burnett TM promove lives em celebração ao Dia Nacional da Visibilidade Trans

A Leo Burnett Tailor Made promove nos dias 27, 28 e 31 de janeiro a primeira edição de uma série de lives em celebração ao Dia Nacional da Visibilidade Trans. O evento será transmitido pelo Instagram da agência e trará os temas não-binaridade, transfeminilidades e transmasculinidades, sempre pela lente da produção de conteúdo.

Com mediação de Mar Facciolla, profissional trans não-binárie, parte do grupo de afinidade NÓS Orgulho e da área de Impacto Social da agência, o evento virtual receberá como convidada no dia 27 de janeiro Audre Verneck, multiartista, educomunicadora, agente de saúde, produtora cultural e produtora de conteúdo. Para o dia 28 de janeiro, o convidado será  Stefan Costa, jovem trans preto de 26 anos, youtuber e influenciador. Com seu bom humor e criatividade, produz conteúdo em seu Instagram e em seu canal no YouTube, apresentando sua vivência enquanto homem preto e trans na sociedade, com vídeos recheados de críticas sociais e conscientização. E, para finalizar a série de lives em 31 de janeiro, a LBTM recebe Nega Preto, que cria poesias desde a infância, estreou sua carreira musical em 2011, levando suas performances aos palcos ao redor de todo o sudeste do Brasil, mesclando o rap a outros ritmos da música preta, como batucada, funk e soul. Além de cantora e poeta, Nega executa diversos trabalhos como produtora musical e audiovisual, multi-instrumentista, designer, palestrante e produtora de eventos.

As lives também terão como convidades Cléo Soares, assistente de estratégia da Leo Burnett Tailor Made, atriz, bacharel em Design pela Universidade Feevale e MBA em Práticas Inclusivas nas Organizações pela Universidade La Salles e, com muito orgulho, mulher trans; e Ziza da Silva, que é transmasculino e Supervisor de Pós-Produção da Prodigious, agência do  Publicis Groupe. Ziza é formado em Rádio e TV pela UNESP, com 13 anos de experiência. Atua como profissional multifacetado, com trabalhos como videomaker, criador e coordenador de equipes, mas sua maior especialização é como editor/montador em audiovisual. Membro da recém-fundada APTA – Articulação de Pessoas Trans do Audiovisual. Participou de projetos como “Chega de Fiu Fiu” e “Além das Sete Cores” na equipe de pós-produção. Também foi aprovado 2 vezes em primeiro lugar para concursos públicos na área de pós. Além da pós em audiovisual, Ziza também tem se especializado em roteiro documental pela Roteiraria e pela Fábrica de Ideias Cinemáticas e em oficinas de roteiro de Ana Abreu.