Content Studio da Ogilvy Brasil está entre os maiores negócios da agência

Há um ano, a Ogilvy Brasil apresentava uma nova estrutura operada pela agência, exclusiva e diferente de tudo o que já vinha sendo oferecido pelo mercado. Trata-se do Content Studio, operação que envolve planejamento, criação, produção e mensuração de conteúdo digital. E o balanço desses primeiros meses de trabalho é bastante positivo. Os resultados não apenas trouxeram novas receitas para a empresa – já que esse é um dos negócios que mais crescem dentro da Ogilvy –, como possibilitaram agregar valor às entregas, aumentando assim a atuação da agência junto aos clientes que já estão na casa.

“O Content Studio é uma nova forma de trabalho, uma estrutura totalmente diferente tanto do lado da agência quanto do lado do cliente. Exige um outro tipo de profissional e um processo mais ágil, já que o objetivo é engajar marcas e consumidores através dos canais digitais dos anunciantes”, explica o presidente do Grupo Ogilvy Brasil, Fernando Musa. O Content Studio produz prioritariamente conteúdos data driven, ou seja, baseados em insights coletados via data, respondendo em tempo real às interações com os consumidores e mensurando os principais indicadores da marca nas plataformas digitais (redes sociais e outros canais próprios).

Essa equipe exclusiva conta com profissionais como Content Strategist, Content Leader, Community Manager, Liquid Designer, Content Editor, Content Project Manager, Influencers Manager, Data Specialist, entre outros, o que envolve as mais diferentes formações: jornalistas, planejadores, diretores de arte, redatores e atendimento, sem contar a equipe de data intelligence, essencial na entrega de dados e insights. Ao todo, são mais de 60 profissionais que trabalham para clientes como Nestlé (diversas marcas), Telhanorte, BMW, Tiffany & Co., Pfizer (Centrum, Advil), Coca-Cola, Fanta, Magazine Luiza, Jack Link’s, Vale, entre outras empresas, somando um total de quase 30 marcas trabalhadas.

O Content Studio atua de três formas: uma operação customizada montada pela Ogilvy na sede do cliente, como é o caso de Nestlé; uma área exclusiva que a agência tem na sua sede, em São Paulo; ou ainda um modelo híbrido, em que a operação é composta de profissionais do dia a dia da Ogilvy e dos nossos clientes. “Nessa dinâmica diferente, estamos sempre abertos a discutir modelos de operação que saiam do lugar comum. Tudo isso no espaço de tempo que as ativações e respostas no meio digital exigem, ou seja, com muita versatilidade”, ressalta Musa.

Daniel Martins, diretor de Operações da Ogilvy Brasil, lembra que todos os trabalhos do Content Studio, além da velocidade esperada pelo consumidor, têm ainda como diferencial a criatividade. “Não atuamos apenas em caso de crises ou lançamentos. O tempo todo nossa equipe está atenta às necessidades e às novas possibilidades de interação entre consumidor e marca”, explica Martins.

De que forma essa estrutura “conversa” com o restante da agência? A equipe do Content Studio está sempre conectada – e não subordinada – ao planejamento da marca e eventualmente ao atendimento e à criação. “Os pilares da marca são sempre os mesmos, não importa o meio trabalhado”, lembra Musa.

Martins cita como exemplo de ação a que foi feita durante o Baile da Vogue de 2018, que teve a BMW como patrocinadora. “Tínhamos uma equipe trabalhando direto do evento e uma outra montada dentro da Ogilvy, tudo em sintonia para que as ativações digitais – posts ao vivo, lives, stories no Instagram, filmes – fossem feitas no tempo correto.”

Outro exemplo de ação de grande sucesso vem de Telhanorte, que lançou o projeto “Reforma Real Time”. A marca iniciou a ação por meio de um video teaser que convidava os consumidores e fãs da página da marca no Facebook a participarem. Nas horas seguintes, os consumidores que interagiram com o post tiveram a resposta de um arquiteto – bastava enviar a foto do ambiente envolvido na ação para que o profissional da Telhanorte presente no Content Studio, em tempo real, desenhasse um croqui com a sugestão para deixar tudo novo. Na sequência, o time de community managers estimulava a conversa com os participantes e, por fim, eram enviados uma lista de produtos para a realização do projeto e um cupom de desconto.