Com novo modelo de negócio e remuneração, Dojo lança nova identidade visual de Lady Driver

A Lady Driver apresentou uma novidade e tanto para suas usuárias. Ontem, 8 de março, Dia internacional da Mulher, a marca atualizou o aplicativo com a nova identidade visual. Criado pela DOJO, o logo e as novas interfaces do app fazem parte do rebranding da plataforma, que inaugura um novo modelo de negócio entre a agência e a start up de mobilidade urbana.

A agência lança uma unidade de negócios que visa agregar valor para empresas que estão em expansão. “Geralmente são startups que tem um tamanho significativo no mercado, mas ainda não estão alavancadas. Lady Driver, por exemplo, conta com 50 mil motoristas, 1 milhão de usuários e uma demanda represada”, explica Thiago Baron, CEO da DOJO.

O modelo encontrado para essa parceria foi equity no lugar de remuneração. Ou seja, a agência tornou-se sócia do cliente. “Investimos no cliente para que ele cresça. Consequentemente crescemos juntos e retomamos o investimento.  Sabemos que podemos fazer a diferença nesse momento. No caso de Lady Driver, reposicionar e lançar uma nova marca terá um impacto importante para que seja atingido seu potencial de entrega para a sociedade”, completa Baron.

Lançado em 8 de março de 2017, o aplicativo foi idealizado por Gabryella Corrêa. Depois de passar por uma situação de assédio em uma famosa plataforma de mobilidade urbana, a empreendedora decidiu criar uma ferramenta com o propósito de proporcionar liberdade para as mulheres se locomoverem com segurança.

Além da nova programação visual, –  em que o logo traz as iniciais do aplicativo, L e D, fundidas à um pin de localização, – durante o mês das mulheres, a plataforma lançará uma campanha de crowdfunding com o intuito de expandir os serviços para 30 cidades  em 2 anos, investindo em pessoas qualificadas e desenvolvendo uma tecnologia cada vez mais avançada que consiga atender crianças e adolescentes num futuro próximo.